Mulher, mãe de família e tratorista sim senhor!

Aos 27 anos, Eliana Pereira de Lima é esposa, mãe de dois adolescentes e está a caminho de realizar mais um sonho: trabalhar como operadora de máquinas agrícolas. Ela não tinha qualquer experiência na área, mas após passar por um curso descobriu-se completamente à vontade operando um trator e pretende seguir carreira. “Estou ansiosa. Em […] O post Mulher, mãe de família e tratorista sim senhor! apareceu primeiro em Diário Digital.

Aos 27 anos, Eliana Pereira de Lima é esposa, mãe de dois adolescentes e está a caminho de realizar mais um sonho: trabalhar como operadora de máquinas agrícolas. Ela não tinha qualquer experiência na área, mas após passar por um curso descobriu-se completamente à vontade operando um trator e pretende seguir carreira.

“Estou ansiosa. Em Abril começo a trabalhar e espero me desenvolver bastante”, comemora a trabalhadora que está devidamente treinada para a função. Ela foi selecionada para capacitação que a empresa Atvos ofereceu para mulheres em Mato Grosso do Sul. O curso teve duração de um mês e foi realizado neste ano de 2022.

Aluna dedicada, Eliana conta que aprendeu mais do que guiar uma máquina agrícola. “O curso trouxe conceitos de engenharia mecânica, por exemplo, foi algo que eu nem tinha ideia antes”, observa.

Diário Digital

Diário Digital

Diário Digital
Mulheres durante o treinamento da Atvos (Foto: Divulgação)

Sem nunca ter tido qualquer experiência na área, Eliana escolheu trabalhar no campo por conta própria, mesmo sem ter ninguém na família ligado à área.

“Na minha família, só eu escolhi trabalhar como operadora de trator. Até então, trabalhava com serviços domésticos, mas tenho uma amiga que atua no campo e sempre me falou que eu deveria tirar carteira de motorista, que ia facilitar minha entrada no setor. E deu certo”, enaltece.

Para Eliana, operar máquinas agrícolas não é uma função pesada e é sim adequada à mão de obra feminina. Não por acaso, muitas mulheres se sentem atraídas por este trabalho, segundo Eliana.

Diário Digital

Diário Digital

Diário Digital
Mulheres aprendem conceitos de engenharia no capacitação (Foto: Divulgação)

“O interesse das mulheres por essa função é grande. Para ter uma ideia, muitas moradoras de Nova Alvorada do Sul se inscreveram para fazer o curso, mas as vagas eram limitadas. Da minha turma, eu e mais 23 mulheres fomos aprovadas na capacitação e começaremos a trabalhar na Atvos na nova safra que começa em Abril”, conta.

Atvos – A Atvos é uma empresa de bioenergia, sendo a segunda maior produtora de etanol do País, e desde 2019 tem atuado fortemente na capacitação de mulheres nas cidades onde tem operações.

Gabriela Villanova, coordenadora de Pessoas & Organização do Polo Sul MS da Atvos, conta que a empresa aderiu aos Princípios do Empoderamento Feminino da ONU Mulheres, que são um conjunto de considerações para incorporar valores e mais práticas que visem à equidade de gênero e ao empoderamento de mulheres no ambiente empresarial.

Diário Digital

Diário Digital

Diário Digital
Cursos são ofertados dentro do programa Movimento Comunidade (Foto: Divulgação)

Desde então iniciativas de capacitação profissional gratuitas voltadas exclusivamente para as mulheres são frequentes. Atualmente, os cursos são ofertados através do programa Movimento Comunidade.

“A colheita da cana-de-açúcar é uma atividade centenária e, desde então, a força de trabalho é predominantemente masculina. Hoje, na Atvos, as mulheres respondem por 15% do quadro de colaboradores da companhia, percentual acima dos 9,2% do setor sucroenergético, segundo a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA)”, cita.

Porém, segundo Gabriela, esse número ainda não é satisfatório, por isso, a empresa trabalha para dar visibilidade à atuação feminina no campo, promovendo a equidade de gênero. Naturalmente, a Atvos tem interesse em absorver essa mão de obra qualificada para suas operações, mas isso varia conforme a disponibilidade de postos de trabalho nas unidades da Atvos.

Diário Digital

Diário Digital

Diário Digital
(Foto: Divulgação)

“Especificamente no caso da turma que se formou em janeiro em Nova Alvorada do Sul, já conseguimos direcionar para contratação interna 80% das mulheres que participaram do programa e seguimos buscando outras frentes para possivelmente chegarmos aos 100% de contratação”, relata.

Gabriela detalha que o curso capacita as mulheres para atuarem como operadoras de máquinas agrícolas. São cerca de 130 horas de aulas teóricas e práticas para que elas aprendam desde os conceitos tecnológicos dos equipamentos até manobras de operação.

Além disso, a Atvos complementa o aprendizado com palestras sobre temas diversos, como autoestima, cidadania, diversidade, ética, relações interpessoais, workshop de construção de currículos entre outros. Ao final do curso, todas recebem certificado, comprovando que estão aptas a buscar oportunidades afins no mercado de trabalho.

Diário Digital

Diário Digital

Diário Digital
(Foto: Divulgação)

"(...) Percebemos, de maneira geral, que elas são bastante observadoras e atentas a detalhes, demonstram um alto grau de empatia e contam com uma dose extra de paciência na solução de problemas. São comportamentos que são muito bem-vindos em toda função, principalmente na frente agrícola.”

Agroindústria delas - Em MS, o setor da agroindústria de transformação é um setor com forte presença feminina. Um levantamento feito pela Federação das Indústrias de MS, FIEMS, a pedido do Diário Digital aponta que os frigoríficos e o setor sucroenergético são os maiores empregadores desta mão de obra.

Os frigoríficos (bovinos, aves e suínos) aparecem com 12,3 mil ou 67% do total de mulheres empregadas na Agroindústria de Transformação. O sucroenergético (somente usina - fabricação de açúcar e/ou etanol) é o segundo com com 2,4 mil ou 13% .

Diário Digital

Diário Digital

Diário Digital
(Foto: Divulgação)

Mais sobre a empresa - Produtora de etanol a partir da cana-de-açúcar, a companhia tem capacidade para produzir 3 bilhões de litros de etanol, que podem movimentar 60 milhões de carros compactos; 700 mil toneladas de açúcar VHP, capaz de adoçar 20 milhões de festas de aniversário; além de cogerar 3,1 mil GWh de energia elétrica a partir de biomassa, suficiente para abastecer uma população de 15 milhões de pessoas.

Possui mais de 9 mil integrantes nos estados de Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e São Paulo, onde estão localizadas suas nove unidades agroindustriais. Mais informações: www.atvos.com.

O post Mulher, mãe de família e tratorista sim senhor! apareceu primeiro em Diário Digital.

Últimas