Em meio a protestos de PMs, Ceará registra 88 assassinatos em 3 dias

Grupo de PMs fazem motins e estado vive escalada de violência. De acordo com a Constituição, categoria não pode realizar greve

Força Nacional ocupa cidades cearenses em meio a motins de policiais militares

Força Nacional ocupa cidades cearenses em meio a motins de policiais militares

José Leomar/SVM

O estado do Ceará registrou 88 assassinatos nos últimos três dias. As mortes ocorrem durante uma paralisação realizada por policiais militares em diversos municípios. O grupo reivindica reajuste salarial para a categoria, que, de acordo com a Constituição, não pode fazer greve. 

Leia mais: Em meio a protestos de policiais, Ceará tem 29 mortes em 24 horas

A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social confirmou que as 88 mortes ocorreram entre as 0 horas de quarta-feira (19) às 23h59min dessa sexta-feira (21). Os homicídios são registrados como crimes violentos letais intencionais

De acordo com o órgão, na sexta-feira (21), foram registrados 37 casos, em todo o estado. Os crimes englobam casos de homicídio doloso, feminicídio, lesão corporal seguida de morte e latrocínio.

Leia mais: Cid Gomes é atingido por tiro em protesto de policiais no Ceará

Na última segunda-feira (17), foram registradas três mortes. Na terça-feira (18), cinco. Na quarta-feira (19), 29 casos, e, na quinta-feira (20), foram registrados 22 mortes. O motim de um grupo de policiais militares teve início na noite da terça-feira (18).