'Espero que morte do meu filho ajude terem respeito pelo próximo'

João Batista, pai de João Alberto, deu declaração durante velório do filho realizado neste sábado (21) em Porto Alegre; filho foi morto por seguranças

Velório de João Alberto ocorre no cemitério municipal São João, em Porto Alegre

Velório de João Alberto ocorre no cemitério municipal São João, em Porto Alegre

REUTERS/Diego Vara

"O que eu espero com o caso do meu filho é que as pessoas aprendam a ter educação e respeito pelo próximo, independente de quem seja essa pessoa. Indepedente da cor, da situação social. Que as pessoas respeitem a vida. O meu filho precisou morrer, mas afinal de contas, isso pode servir de exemplo", disse João Batista, 65, pai de João Alberto, durante o velório do filho, à Record TV

O velório de João Alberto, 40, morto por dois seguranças em um supermercado Carrefour em Porto Alegre (RS) na quinta-feira (19), está sendo realizado neste neste sábado (21) no cemitério municipal São João. 

Leia também: João Alberto é velado em Porto Alegre e família pede justiça

O crime ocorreu na véspera do Dia da Consciência Negra, na sexta-feira, dia 20 de novembro. Os dois agressores tiveram a prisão preventiva decretada. Um deles é um policial militar temporário.

Saiba mais: RS promete apuração rigorosa de morte de negro em mercado

Teria havido um desentendimento entre a vítima e funcionários da loja, de acordo com o delegado Leandro Bodoia, plantonista da Delegacia de Homicídio e Proteção à Pessoa.

Leia também: Bolsonaro diz que é um presidente ‘daltônico’: ‘Todos têm a mesma cor’

João Alberto teria feito "gestos agressivos" dentro do supermercado enquanto passava as compras pelo caixa, segundo testemunhas. Neste momento, os seguranças foram chamados e o conduziram para fora da loja.