Cidades Estudante baleado em ataque a tiros em escola no Ceará corre risco de morte cerebral

Estudante baleado em ataque a tiros em escola no Ceará corre risco de morte cerebral

Hospital já iniciou protocolo para confirmar morte cerebral de um dos três alunos feridos por estudante. Ele foi baleado na cabeça

  • Cidades | Do R7

Aluno entra armado em escola de sobral, no Ceará, e fere colegas

Aluno entra armado em escola de sobral, no Ceará, e fere colegas

Google Street View

Um estudante corre risco de morte cerebral após ser atingido na cabeça por disparos de um adolescente de 15 anos dentro de uma escola em Sobral, no interior do Ceará. O atirador feriu três alunos da da Escola Estadual Professora Carmosina Ferreira.

Segundo a Santa Casa da cidade, já foi iniciado o protocolo para confirmar a possível morte cerebral do aluno ferido na cabeça, que está entubado e internado em estado grave. O outro, também atingido na mesma região, foi levado à unidade de saúde consciente e submetido a uma tomografia. Um terceiro estudante foi atingido na perna e passou por cirurgia.

De acordo com a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social, o adolescente, suspeito de um ato infracional análogo ao crime de tentativa de homicídio em uma escola estadual, foi apreendido com uma arma de fogo registrada no nome de um CAC (Colecionador, Atirador Desportivo e Caçador), que seria familiar do jovem.

Segundo a pasta, o jovem foi apreendido nesta quarta-feira (5), após ação do Comando de Policiamento de Rondas e Ações Intensivas e Ostensivas da Polícia Militar do Ceará.
De acordo com o depoimento concedido pelo jovem na Delegacia Municipal de Sobral, o adolescente havia premeditado o ato após ser vítima de bullying. O crime é investigado pela Polícia Civil.

A governadora do estado, Izolda Cela, se manifestou sobre o caso nas redes sociais. "Determinei resposta rápida das nossas forças de segurança, inclusive sobre a origem da arma utilizada no crime. A Secretaria de Educação do Estado também está dando o suporte necessário à comunidade escolar e às famílias", escreveu.

Últimas