Folha Vitória Entenda o que é o TDA, transtorno que atinge principalmente os adultos

Entenda o que é o TDA, transtorno que atinge principalmente os adultos

O TDA é causado por uma combinação de fatores genéticos e ambientais, que resultam numa alteração na estrutura e no funcionamento das áreas do córtex cerebral

Folha Vitória
Foto: Divulgação
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Para além da infância, o Transtorno de Défict de Atenção (TDA) é um transtorno mental que se caracteriza pela alteração na intensidade de expressão do comportamento. De acordo com especialistas, o problema é causado por fatores genéticos e afeta os adultos. 

De acordo com com o psiquiatra Fábio Olmo, o TDA é causado por uma combinação de fatores genéticos e ambientais, que resultam numa alteração na estrutura e no funcionamento das áreas do córtex cerebral. 

"O TDA, entretanto, pode atingir todas as idades, entre jovens e adultos, enquanto o TDAH está relacionado à infância e a dificuldades desse período da vida", explicou o especialista. 

Saiba como identificar os sintomas

Transtorno de Défict de Atenção (TDA)

De acordo com Fábio, os pacientes de TDA "geralmente apresentam uma capacidade de atenção abaixo do esperado (déficit de atenção) e impulsividade".

Para aqueles que sofrem com o TDA, tarefas que exijam esforço mental e concentração tornam-se mais difíceis, pois essas pessoas não conseguem manter o foco. 

"Elas se distraem facilmente e esquecem obrigações. Ao mesmo tempo, elas não conseguem relaxar nas horas de lazer. Como isso pode atrapalhar nas relações pessoais, de estudo e de trabalho, muitos pacientes sofrem também com problemas de autoestima e confiança", disse Fábio

Ainda de acordo com o psiquiatra, a impulsividade é um dos sintomas mais importantes do transtorno e costuma ter impacto negativo nos laços afetivos do paciente. 

"A pessoa apresenta uma dificuldade real de controlar respostas comportamentais, podendo agir de maneira incômoda aos outros, ao se intrometer em conversas e responder antes que uma pergunta seja terminada, por exemplo, não conseguir esperar em filas, ter dificuldade de parar atividades que considera muito prazerosas e para concluir obrigações etc", pontuou. 

Fábio explicou que não existem exames específicos para diagnosticar o TDA. "O diagnóstico do Transtorno de Déficit de Atenção é realizado por meio da consulta. O paciente é entrevistado pelo psiquiatra, para que sejam avaliados os sintomas, hábitos, contexto de vida da pessoa, entre outros", disse. 

Reflexos do TDA na vida 

Segundo o psiquiatra, o transtorno pode afetar todas as esferas da vida do paciente, principalmente no que diz respeito ao trabalho e às relações pessoais. Para fazer o diagnóstico, todos esses fatores são observados e analizados. 

"Nós observamos se as alterações cognitivas e comportamentais estão presentes de maneira crônica e em diversas situações na vida do indivíduo, resultando em sérios prejuízos e sofrimento, impactando os estudos, o trabalho e as relações afetivas", afirmou o psiquiatra. 

Além disso, também são observados os hábitos do paciente, como o uso excessivo de telas, que tem causado maior desatenção nas pessoas. "É preciso também avaliar fatores de estresse e ansiedade no cotidiano do paciente, que podem causar inquietação e outros sintomas", disse Fábio. 

Transtorno de Défict de Atenção e Hiperatividade (TDAH)

Diferente do TDA, o Transtorno de Défict de Atenção e HIperatividade (TDAH) é diagnosticado na infância. "Geralmente, o TDAH começa na infância, antes dos 12 anos de idade, mas pode ser identificado em qualquer etapa da vida. Já o TDA pode surgir na juventude ou fase adulta", explicou o psiquiatra.  

Apesar da diferença com relação às idades, Fábio explicou que os transtornos afetam homens e mulheres igualmente, e que a consulta psiquiátrica é fundamental para que seja feito um diagnóstico adequado e preciso.

Tratamento

De acordo com Fábio, existem diversas técnicas e intervenções psicoterápicas e farmacológicas para o tratamento do transtorno. Para definir a melhor estratérgia, é preciso passar por uma avaliação com médico, que dará as orientações de maneira individualizada para cada caso.

"A Psicoeducação e a Terapia Cognitivo-Comportamental são muito utilizadas, pois ajudam a aumentar a capacidade de organização dessas pessoas e a diminuir sentimentos de desvalia decorrentes dos prejuízos causados pelo transtorno", finalizou.

Últimas