Cidades Governador do AM pede reforço da Força Nacional após ataques

Governador do AM pede reforço da Força Nacional após ataques

Transporte coletivo está suspenso assim como aulas em Manaus nesta segunda-feira (7). Ordem partiu de dentro de presídio

  • Cidades | Do R7, com informações da Record TV

Governador do AM pediu reforço da Força Nacional após série de ataques

Governador do AM pediu reforço da Força Nacional após série de ataques

Reprodução Record TV

O governador do Amazonas, Wilson Lima, enviou um ofício ao Ministério da Defesa na noite deste domingo (6) solicitando a presença da Força Nacional para auxiliar no patrulhamento em Manaus após a série de ataques em represália à morte de um traficante em confronto com a polícia. As informações são da Record TV

Até o momento, 14 pessoas foram presas por envolvimento em incêndios e depredações de veículos, espaços públicos e agências bancárias. Nesta segunda-feira (7), o policiamento está reforçado em Manaus e na região metropolitana. Ainda assim, as aulas foram suspensas e o transporte coletivo não circula na capital. Uma viatura foi depredada em Parintins, no interior do estado.

Os ataques em série teriam sido ordenados por facção criminosa de dentro de um presídio. Ações de vandalismo foram registradas em Manaus e nos municípios de Parintins e Careiro Castanho.

Segundo a Secretaria de Segurança, foram registrados incêndios em 21 veículos, em quatro agências bancárias (Bradesco, Caixa Econômica, Banco do Brasil e Santander), um comércio, em via pública e no PAC (Pronto Atendimento ao Cidadão) do Educandos, na zona sul de Manaus.

Delegacias, carros de policiais, ambulância do SAMU e até escolas municipais foram alvos dos ataques. Tiros foram disparados em direção às unidades. Os criminosos também montaram barricadas nas ruas.

“Isso é uma reação do tráfico de drogas e a todas ações de enfrentamento que estamos fazendo a essas atividades criminosas. O estado do Amazonas no ano passado fez uma apreensão recorde de drogas: 19 toneladas. Só de janeiro a maio deste ano, foram apreendidas 11 toneladas, além de 832 armas”, destacou o governador.

A delegada geral da Polícia Civil, Emília Ferraz, informou que, do total de presos, 13 estavam envolvidos nos atos de vandalismo e um foi identificado como sendo um dos mandantes dos ataques na região do bairro da Redenção, zona sul de Manaus. O governo promete enviar os responsáveis para o presídio federal.

Comitê de crise

Um comitê de crise foi criado com a coordenação da Secretaria de Segurança Pública e instalado no CICC (Centro Integrado de Comando e Controle), no bairro Petrópolis, no centro-sul. O departamento de inteligência investiga quem foram os mandantes dos ataques.

A polícia faz incursões em áreas apontadas pelo serviço de inteligência e reforçou o policiamento em terminais e garagens de ônibus do transporte coletivo de Manaus e espaços públicos. As ações incluem a montagem de barreiras policiais em locais estratégicos.

O secretário estadual de Segurança Pública, coronel Louismar Bonates, disse que foram convocados policiais que estavam de folga, triplicando o efetivo nas ruas.

Últimas