Cidades Lázaro deveria ter sido transferido de presídio lotado antes da fuga

Lázaro deveria ter sido transferido de presídio lotado antes da fuga

Águas Lindas de Goiás tinha 485 presos em 2018 e podia abrigar 133. Pedido de transferência tinha caráter de urgência

  • Cidades | Do R7

Lázaro Barbosa deveria ter sido transferido de presídio superlotado antes da fuga

Lázaro Barbosa deveria ter sido transferido de presídio superlotado antes da fuga

Reprodução/ Record TV

Antes da fuga de Lázaro Barbosa Souza da penitenciária de Águas Lindas de Goiás em julho de 2018, já havia um pedido de transferência do preso. A unidade prisional estava superlotada e havia risco de que ele pudesse deixar a carceragem, como de fato aconteceu em 23 de julho.

O documento com a solicitação da transferência indicava "a caótica situação em que se encontra o presídio local, que possui capacidade máxima de alojamento de 133 presos, incluindo os provisórios, e atualmente esse número supera 485".

O pedido foi feito em 12 de março de 2018 em caráter de urgência: "De modo inequívoco e patente, comunique-se com urgência ao juizo de Barra do Mendes, na Bahia, e oficie-se o juizo da Vara de Execuções Penais de Brasília (DF) a fim de que providencie o imediato recambiamento do reeducando Lázaro Barbosa de Souza".

Em 28 de março de 2016, ele já estava preso e cumpria pena no CPP, em Brasília, mas não retornou à prisão após uma saidinha de Páscoa.

Para conseguir uma progressão da pena e a ida para o regime semiaberto, Lázaro teve de fazer cursos sobre Lei Maria da Penha e de empatia, para aprender a se colocar no lugar da vítima. Depois das aulas, ele recebeu um certificado de bom comportamento, mesmo respondendo por roubo, estupro e homicídios.

As buscas pelo serial killer chegaram nesta segunda-feira (21) ao 13º dia e ocorrem de forma ininterrupta. Uma força-tarefa foi montada com bloqueios em rodovias e auxílio da Força de Segurança Nacional para procurar pelo homem na região de Cocalzinho de Goiás.

Trajetória criminal

A trajetória de Lázaro Barbosa, de 32 anos, é marcada por crimes, prisões e fugas de cadeias. Segundo informações da Record TV, em 2013, um laudo atestou que ele tem comportamentos característicos de um psicopata agressivo, com temperamento agressivo e impulsivo.

Em 2007, na cidade de Barra do Mendes na Bahia, ele teria matado dois homens que tentaram ajudar uma de suas vítimas. Ele ficou desaparecido por 15 dias escondido em uma região mata e se entregou à polícia machucado.

Em 2009, Lázaro foi preso por suspeita de roubo, estupro e porte ilegal de arma de fogo no Ditrito Federal. Em 2014, ele ganhou o direito de ir para o regime semiaberto. Dois anos depois, fugiu do CPP (Complexo Penitenciário da Papuda). Em 2018, ele foi preso pela polícia de Goiás, mas em julho abriu um buraco no teto do presídio de Águas Lindas e Goiás e conseguiu fugir.

Em 2020, ele quase matou um idoso com golpes de machado depois de invadir uma chácara em Santo Antônio do Descoberto. Em abril de 2021, invadiu uma propriedade localizada em Sol Nascente e estuprou uma mulher em uma região de mata.

Em junho, Lázaro começou a desafiar as forças de segurança de Brasília e Goiás. Ele é acusado de matar uma família em Ceilândia (DF) e fugir para Goiás. A ação da polícia ocorre nas proximidades de Girassol (GO), onde o pai de Lázaro mora. O povoado pertence ao município de Cocalzinho de Goiás. A cidade tem uma população estimada em pouco mais de 20 mil habitantes, segundo o IBGE.

O homem é suspeito de ter matado ao menos sete pessoas, desde 2007. Além disso, desde que é suspeito de ter assassinado uma família em Ceilândia, em 9 de junho, ele tem invadido e incendiado propriedades, ameaçado moradores e feito reféns. Na terça-feira (16), Lázaro teve a primeira troca de tiros com a polícia, desde o início da operação.

Últimas