Cidades Vômitos e diarreia: o que se sabe sobre mãe e filho que morreram após comer bolo de pote em GO

Vômitos e diarreia: o que se sabe sobre mãe e filho que morreram após comer bolo de pote em GO

Luzia Tereza e Leonardo Pereira vomitaram e tiveram dores abdominais e diarreia três horas depois de consumir a sobremesa

  • Cidades | Do R7. com informações do Cidade Alerta DF

Luzia e Leonardo passaram mal após comerem bolo

Luzia e Leonardo passaram mal após comerem bolo

Reprodução/Record

Mãe e filho passaram mal e morreram após comerem um bolo de pote de uma loja de doces, em Goiânia, no último domingo (17).

Luzia Tereza Alves, de 86 anos, e Leonardo Pereira Alves, de 58, vomitaram e tiveram dores abdominais e diarreia três horas depois do consumo da sobremesa.

De acordo com o relato de familiares, os dois comeram o doce por volta das 10h e começaram a passar mal às 13h. Segundo a Polícia Civil, a nora de Luzia, Amanda Partata, foi quem comprou o bolo.

A família também afirmou que Leonardo não tinha problemas de saúde e havia acordado bem no dia em que ingeriu a sobremesa.

Clique aqui e receba as notícias do R7 no seu WhatsApp
Compartilhe esta notícia no WhatsApp
Compartilhe esta notícia no Telegram
Assine a newsletter R7 em Ponto

O advogado da família, Luis Gustavo Nicoli, afirmou em entrevista ao Cidade Alerta DF que a polícia está aguardando o laudo da perícia dos corpos.

O caso está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios de Goiânia. "São duas mortes que inicialmente devem ser tratadas como homicídio. Acredito que essa seja a melhor linha de investigação e a mais segura", disse o advogado.

O delegado responsável, Carlos Alfama, disse que já foram recolhidos os depoimentos, inclusive de um dos principais suspeitos. Ele também afirmou que um possível envolvimento da doceria foi descartado.

A loja afirmou em uma nota que adota rígidos critérios de segurança alimentar. A empresa lamentou o ocorrido e se dispôs a prestar esclarecimentos às autoridades.

Amostras coletadas na casa das vítimas e no estabelecimento comercial estão sendo analisadas pelo Instituto de Criminalística. 

O delegado também afirmou que já tem elementos para indiciar uma pessoa como suspeita e que fará um pronunciamento na tarde desta quarta-feira (20).

Últimas