Cidades Polícia prende sete pessoas após mortes por furto de carne na BA

Polícia prende sete pessoas após mortes por furto de carne na BA

Operação da Polícia prende três seguranças do mercado Atakarejo e mais quatro homens apontados como traficantes 

  • Cidades | Do R7

Operação da polícia prende sete pessoas por participação em duplo homicídio na BA

Operação da polícia prende sete pessoas por participação em duplo homicídio na BA

Divulgação Polícia Civil

A Polícia Civil prendeu, na manhã desta segunda-feira (10), três seguranças do supermercado Atakarejo e quatro homens apontados como traficantes em Salvador, na Bahia. Eles são suspeitos de participação na morte de Bruno Barros e Yan Barros, tio e sobrinho encontrados no porta-malas de um carro no dia 26 de abril após terem furtado pacotes de carne do mercado.

A Polícia Civil cumpre mandados de busca e apreensão em casas e no estabelecimento comercial. São mais de 200 policiais que participam da Operação Retomada. De acordo com a polícia, a ação tem como objetivo cumprir os mandados de prisão temporária e de busca e apreensão e trazer aos autos elementos para ajudar no esclarecimento do crime. A operação é coordenada pela Polícia Civil e teve a participação de 40 equipes com o apoio da Polícia Militar.

Bruno Barros e Yan Barros foram encontrados no porta-malas de um carro dia 26 de abril

Bruno Barros e Yan Barros foram encontrados no porta-malas de um carro dia 26 de abril

Reprodução Instagram

Seguranças do supermercado Atakarejo, da região do Nordeste de Amaralina, flagraram Bruno e Yan furtando carne no estabelecimento. Os funcionários detiveram os homens, mas Bruno, de 29 anos, conseguiu pedir ajuda a uma amiga por meio de áudios e ligações.

Nas mensagens, ele teria dito que precisava de cerca de R$ 700 para pagar os quatro pacotes de carne. Bruno chegou a dizer que precisava do dinheiro, porque se não, ele e Yan seriam entregues a traficantes. A mulher, que prefere não ser identificada, tentou obter o valor.

Bruno e Yan foram encontrados mortos, com sinais de tortura, dentro do porta-malas de um carro, na comunidade de um bairro da periferia de Salvador, no dia 26 de abril.

Bruno estava desempregado, mas recebia ajuda da mãe. Ele deixou uma filha, de 12 anos. Yan, 19 anos, cursava 9º ano em um projeto de Educação de Jovens e Adultos (EJA) à tarde e fazia o curso de música no Projeto Axé pela manhã.

Últimas