Cidades Policiais morrem 2,5 vezes mais de covid do que em confrontos

Policiais morrem 2,5 vezes mais de covid do que em confrontos

Foram 472 mortes por infecção peo novo coronavírus, contra 194 policia assassinados no Brasil em 2020, aponta Anuário

  • Cidades | Do R7

No ano passado, atuando como serviço essencial, 472 policiais faleceram por covid-19

No ano passado, atuando como serviço essencial, 472 policiais faleceram por covid-19

/ETTORE CHIEREGUINI/AGIF - AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA/ESTADÃO CONTEÚDO - /

O número de policiais mortos por covid-19 em 2020, supera em 2,5 vezes o número dos assassinados, de acordo com dados divulgados do Anuário do Fórum Brasileiro de Segurança Pública na manhã desta quinta-feira (15)

No ano passado, atuando como serviço essencial, 472 policiais faleceram após infecção pelo novo coronavírus, contra 194 vítimas de homicídio. Entre os policias assassinados, 72% estavam de folga, a quase totalidade eram homens (98,4%), 62,7% eram negros e 58,9% tinham entre 30 e 49 anos. 

No total, 29,5% dos policiais brasileiros testaram positivo para covid-19.

Mesmo com um número alto de casos e mortes, 49,7% dos policiais ouvidos na pesquisa acreditam que o Governo Federal está realizando ações para auxiliar seu trabalho na pandemia, sendo 57,4% entre policiais militares e 31,8% entre os policiais civis. No entanto, 85% dos entrevistados afirmaram que tem medo de ser infectado pelo coronavírus durante o trabalho.

Abordagens na pandemia

Questionados sobre as abordagens neste período de pandemia, 62,8% afirmaram que se sentiam confortáveis pedir que as pessoas colocarem a máscara.

Porém, menos da metade deles se sente confortável para realizar operações em festas clandestinas (43%) ou dispersar aglomerações (45,8%). E 52,5% disseram que se sentem desconfortáveis em autuar comércios e serviços abertos irregularmente.

Vacinação dos agentes de segurança

Tenente foi a 1ª PM a ser imunizada em SP

Tenente foi a 1ª PM a ser imunizada em SP

Divulgação/Governo do Estado de São Paulo

Apesar de serem considerados essenciais, a vacinação dos policiais no país começou apenas em abril.  Em São Paulo, por exemplo, a Polícia Militar chegou a registrar 1.700 licenças por sintomas de covid em uma semana. Já no mês seguinte, após a imunização, o número caiu para 300, uma redução de 82% dos casos.

 "Para mim, foi uma honra ser a primeira policial vacinada, representando todas as forças de segurança de nosso estado. Além de um imenso alívio, pois estamos na linha de frente desde o início. A Polícia Militar não parou um só momento", afirmou na época a 1ª Tenente Rosemeire Santos de Miranda, de 43 anos.

Últimas