Cidades 'Roubo em Criciúma foi o maior de Santa Catarina', diz polícia 

'Roubo em Criciúma foi o maior de Santa Catarina', diz polícia 

Investigadores trabalham para chegar a membros do grupo que executou um assalto a agência bancária de Criciúma na madrugada desta terça

  • Cidades | Fabíola Perez, do R7

Polícia Civil diz que assalto em Criciúma foi o maior de Santa Catarina

Polícia Civil diz que assalto em Criciúma foi o maior de Santa Catarina

Divulgação Polícia Civil

O assalto a uma agência bancária de Criciúma, em Santa Catarina, na manhã desta terça-feira (1º), envolvendo pelo menos 30 homens fortemente armados, foi o maior do estado, segundo a Polícia Civil. "Podemos afirmar que foi o maior roubo da história de Santa Catarina", disse o delegado Anselmo Cruz, do Deic (Diretoria Estadual de Investigações Criminais).

"Há uma mobilização policial muito forte. Em paralelo a isso, iniciou-se um trabalho de investigação para tratar desse que podemos já afirmar ser o maior roubo, de maiores proporções já acontecido no estado de Santa Catarina", afirmou o delegado. "Tivemos o anterior em março do ano passado, no aeroporto em Blumenau, uma ação extremamente violenta. Porém, a mobilização dos criminosos, que ocorreu nesta madrugada, se tornou algo inédito no estado." 

Veja: Moradores de Criciúma (SC) vivem noite de terror com troca de tiros

Segundo o delegado Cruz, a ação envolveu cerca de 30 homens armados em 10 veículos. "Eles portavam um farto armamento pesado, com fuzis calibres 556, 762, que já foram identificados, além de algo quase que inacreditável, para outros países, mas um armamamento calibre .50, de uso restrito das Forças Armadas. Identificamos pelo menos uma arma usada durante a ação, capaz de perfurar blindados e ser usada como arma antiaérea."

O delegado afirmou ainda, durante coletiva de imprensa, que desde o primeiro momento em que foi estabelecido o perímetro de segurança, teve início o trabalho de investigação e da perícia. "Isso para que se tenha uma ação capaz de identificar todos os autores deste crime." A polícia acredita que o assalto tenha sido planejado com meses de antecedência.

Leia mais: Explosivos e "chuva de dinheiro": veja detalhes do assalto em SC

"O roubo no aeroporto de Blumenau começou a ser planejado pelos criminosos nove meses antes do acontecido em março de 2019 e é um roubo de menores proporções", disse Cruz. "Não temos dúvida de que esta foi uma ação extremamente bem arquitetada, feita com muito preparo, planeamento e investimento por conta da logística utilizada."

A sofisticação do assalto, segundo a polícia, remete a autoria a grupos de fora do estado. "Não temos esse perfil de criminosos em Santa Catarina, pode ter até algum integrante, alguém que seja do estado, mas sabemos que essa ação é proveniente de fora do estado", disse o delegado. "Não se tem apontamento de que a ação seja de autoria de organizações criminosas, mas, sabemos que são indivíduos, assaltantes, reconhecidos do estado de São Paulo e que, possivelmente, responsáveis pelas ações mais violentas do Brasil dos último anos."

Veja ainda: Criciúma (SC): polícia encontra 10 carros abandonados por quadrilha

Cruz afirmou ainda que há um núcleo que age e organiza 'ações cinematográficas' e, em razão das dimensões do assalto, o crime necessitará de apuração detalhada. "O planejamento, a preparação e a logística são muito grandes. Essas ações demoraram muito tempo para serem planejadas e exigem um trabalho meticuloso de investigação. Não se pode querer que se tenha uma resposta de horas e dias para um roubo envolvendo 30 assaltantes que se planejaram durantes meses."

A Polícia Civil informou ainda, durante a coletiva, que, desde as primeiras horas da madrugada, quando o assalto teve início, os agentes de segurança iniciaram a coleta das informações para as investigações. 

De acordo com o delegado geral da Polícia Civil de Santa Catarina, Paulo Koerich, as forças de segurança do estado foram acionadas no início da madrugada. "Este crime praticado em Criciúma, tal qual aconteceu em Blumenau, nos chama a atenção pela ousadia, pela violência empregada. Aqui não tivemos mortes, temos um colega que ficou ferido."

Koerich afirmou ainda que as polícias trabalham na identificação dos homens que participaram da ação. "Trataremos de dar uma resposta e iremos prender todos aqueles que praticaram este crime no município de Criciúma nesta noite."

Últimas