Cidades SC: MP denuncia autor de chacina por 5 homicídios e 14 tentativas

SC: MP denuncia autor de chacina por 5 homicídios e 14 tentativas

Duas professoras e três bebês foram assassinados em creche de Saudades no dia 4 de maio. Outra criança sobreviveu

  • Cidades | Cesar Sacheto, do R7

População de Saudades (SC) deixa mensagens em homenagem às vítimas

População de Saudades (SC) deixa mensagens em homenagem às vítimas

Willian Ricardo/NDMais

O Ministério Público de Santa Catarina denunciou formalmente nesta sexta-feira (21) por cinco homicídios consumados e outra 14 tentativas o autor da chacina que duas professoras e três bebês — todos com idade inferior há dois anos —, além de ferir outra criança, ocorrida na Escola Infantil e Berçário Pró-Infância Aquarela, em Saudades, cidade de aproximadamente 10 mil habitantes, localizada no oeste do estado.

Os promotores analisaram o conteúdo de 15 relatórios com informações acessadas após a quebra do sigilo de dados de aparelhos de notebook e outros equipamentos do acusado, concedida pela Justiça.

Ainda segundo o MP-SC, os documentos confirmaram que o crime foi planejado por cerca de dez meses e que a intenção do assassino, um homem de 18 anos, era matar o maior número possível de pessoas.

"A idealização que ele tinha era de um verdadeiro massacre. Foi possível verificar inúmeros e reiterados acessos, pesquisas a conteúdos impróprios de extrema violência que fomentavam ainda ações discriminatórias, ódio e matança generalizada. Foi possível aferir que o denunciado nutria uma especial idolatria por assassinos em série, criminosos, assassinatos em massa, gerando esse objetivo dele, que era era matar o máximo de pessoas possível", enfatizou o promotor Douglas Dellazari, responsável pela denúncia.

MP-SC denuncia assassino de creche em Saudades que terminou com 5 mortes

MP-SC denuncia assassino de creche em Saudades que terminou com 5 mortes

Reprodução/YouTube

Parceria com o MP-SP

O procurador-geral de Justiça de Santa Catarina, Fernando da Silva Comin, anunciou um acordo com o Ministério Público de São Paulo para stimular políticas publicas de prevenção e educação, aprimorar as investigações e previnir ações semelhantes, orquestradas por meio de navegação em sites na deep web a partir de novas investigações com aparato especifico de investigação de crimes cibernéticos.

"Estamos contanto com o apoio do Ministério Público de São Paulo, que tem o Cyber Gaeco e todo o know how e a forma de trabalho do Cyber Gaeco nós pretendemos trazer para Santa Catarina com a certeza que será uma grande contribuição para o avanço [do combate] desse tipo de criminalidade, que cresce de maneira silenciosa na deep web, na dark web, em grupos de bate-papo clandestinos que estimulam adolescentes, crianças e adultos à pratica de violência, discriminação e de gostos de ódio que não podemos tolerar nos dias de hoje", declarou.

Últimas