Economia ANP deixa de divulgar preços de combustíveis após ataque cibernético

ANP deixa de divulgar preços de combustíveis após ataque cibernético

Segundo a agência, os sistemas, entre eles o de levantamento semanal de preços, estão temporariamente fora do ar

  • Economia | Do R7, com Reuters

Preço médio da gasolina já teve queda de 22,3% desde junho

Preço médio da gasolina já teve queda de 22,3% desde junho

EVANDRO LEAL/ENQUADRAR/ESTADÃO CONTEÚDO - 28/07/2022


A ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) informou nesta sexta-feira (5) que seus sistemas, entre eles o de levantamento semanal de preços, estão temporariamente fora do ar, devido a um ataque cibernético ocorrido na véspera.

"Como medida de segurança, todos os sistemas foram retirados do ar para avaliação dos riscos à segurança cibernética da agência", afirmou a reguladora em nota.

Com isso, o levantamento semanal sobre os preços dos combustíveis nos postos do país deixará de ser divulgado nesta sexta-feira.

Na última pesquisa, realizada entre os dias 24 e 29 de julho, o preço médio da gasolina havia caído pela quinta semana seguida nos postos. O litro passou de R$ 5,89 para R$ 5,74, ou seja, houve queda de 2,5%.  

Desde que entrou em vigor a redução de tributos do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) nos estados, o combustível foi o que mais recuou, ficando 22,3% mais barato.

Nesta sexta-feira, começou a vigorar a redução de R$ 0,20 no preço médio do diesel nas refinarias às distribuidoras. O valor do litro passa de R$ 5,61 para R$ 5,41, o que configura uma queda de 3,56%, que não é repassada imediatamente ao consumidor. É a primeira redução desde o início de maio do ano passado. Já a gasolina teve duas reduções pela Petrobras no mês de julho.

Últimas