Economia Arrecadação aumenta 7,25% e registra melhor agosto desde 2000

Arrecadação aumenta 7,25% e registra melhor agosto desde 2000

No acumulado do ano, a arrecadação tem alta de 23,53% sobre os oito primeiros meses de 2020, de acordo com a Receita

  • Economia | Do R7

Arrecadação  com impostos e tributos em agosto deste ano atingiu R$ 146 bilhões,

Arrecadação com impostos e tributos em agosto deste ano atingiu R$ 146 bilhões,

Maxpixel

A arrecadação do governo federal com impostos e tributos em agosto deste ano atingiu R$ 146,4 bilhões, valor 7,25% maior do que o registrado no mesmo período de 2020. 

Trata-se do maior resultado para o mês desde 2000, de acordo com informações divulgadas nesta quinta-feira (23), pela Receita Federal.

No período acumulado de janeiro a agosto de 2021, a arrecadação alcançou o valor de R$ 1,1 trilhão, representando um aumento de 23,53%, também o melhor desempenho arrecadatório desde 2000. O mesmo foi registrado para os meses de fevereiro, março, abril e maio de 2021.

O secretário Especial da Receita Federal, José Tostes, disse que o aumento na arrecadação apresentado até agosto é estrutural e reflete a melhora da economia. Em entrevista coletiva, Tostes afirmou que o recolhimento de tributos vem crescendo desde agosto do ano passado.

"De oito meses deste ano, em seis a arrecadação foi recorde. As evidências de recuperação da economia são sólidas. O crescimento da arrecadação é sustentável e tem componente estrutural", destacou.

Segundo a Receita, o resultado pode ser explicado, principalmente, pelos fatores não recorrentes, como recolhimentos extraordinários de, aproximadamente, R$ 29 bilhões do IRPJ/CSLL (Imposto de Renda das Pessoas Jurídicas/Contribuição Social Sobre o Lucro Líquido) de janeiro a agosto de 2021, e pelos recolhimentos extraordinários de R$ 2,8 bilhões no mesmo período do ano anterior. Além disso, as compensações cresceram 30% no período acumulado. 

Últimas