Economia BC reduz previsão de crescimento do PIB em 2022 de 2,1% para 1%

BC reduz previsão de crescimento do PIB em 2022 de 2,1% para 1%

Autoridade também revisou de 4,7% para 4,4% a expectativa de avanço da economia neste ano, aponta Relatório de Inflação

  • Economia | Do R7, com Reuters

BC apresentou expectativas mais pessimistas

BC apresentou expectativas mais pessimistas

Adriano Machado/Reuters - 29.10.2019

O BC (Banco Central) piorou sua projeção de crescimento econômico brasileiro em 2022 para 1%, contra 2,1% da estimativa anterior, conforme o RTI (Relatório Trimestral de Inflação) divulgado nesta quinta-feira (16).

No documento, o BC ajustou a perspectiva de expansão para o PIB (Produto Interno Bruto) para uma alta de 4,4% neste ano, ante estimativa de 4,7% calculada em setembro.

"O PIB do terceiro trimestre e alguns dos principais indicadores mensais de atividade disponíveis até a data de corte deste RI apresentaram, de modo geral, resultados piores do que os esperados à época do RI anterior", avalia o BC.

O Ministério da Economia, por sua vez, prevê expansão de 5,1% para o PIB neste ano e de 2,1% para o próximo, enquanto o mercado, segundo o boletim Focus mais recente, estima que a economia crescerá 4,65% em 2021 e 0,5% no ano que vem.

"Surpresas negativas em dados recentemente divulgados, que sugerem perda de dinamismo da atividade e reduzem o carregamento estatístico para o ano seguinte, novas elevações da inflação, parcialmente associadas a choques de oferta, e aumento no risco fiscal pioram os prognósticos para a evolução da atividade econômica no próximo ano", justifica a autoridade monetária. 

Em relação à política monetária, o BC reiterou mensagem da ata do Comitê de Política Monetária (Copom) sobre a intenção de subir a Selic novamente em 1,5 ponto na reunião de fevereiro, em continuidade ao ciclo de alta para levar a taxa básica de juros a território "significativamente contracionista" para conter a inflação. A taxa básica de juros está em 9,25% ao ano.

Transações correntes

A autoridade monetária também piorou sua estimativa para o déficit em transações correntes em 2021 a US$ 30 bilhões neste ano, ante rombo de US$ 21 bilhões projetado em setembro, enxergando para 2022 saldo negativo de US$ 21 bilhões, contra um de US$ 14 bilhões da estimativa anterior.

No Relatório Trimestral de Inflação, o BC passou a ver IDP (Investimentos Diretos no País) de US$ 52 bilhões em 2021, ante US$ 55 bilhões do cenário anterior. Na visão da autoridade monetária, o IDP deve se manter em US$ 55 bilhões em 2022, valor também abaixo dos US$ 60 bilhões projetados em setembro.

Nas contas do BC, a balança comercial terá saldo positivo de US$ 35 bilhões neste ano (contra estimativa anterior de US$ 43 bilhões), ao passo que no ano que vem as trocas comerciais ficarão positivas em US$ 52 bilhões (ante projeção anterior de US$ 60 bilhões).

Últimas