Economia BR vê coronavírus reduzir demanda por combustível

BR vê coronavírus reduzir demanda por combustível

Companhia afirmou que ativou um comitê de crise e que tem adotado medidas mitigadoras, buscando normalidade nos atendimentos

Reuters
Empresa diz que não é possível prever impactos

Empresa diz que não é possível prever impactos

REUTERS/Sergio Moraes

A empresa de combustíveis BR Distribuidora admitiu em comunicado nesta segunda-feira (23) que a epidemia de coronavírus "deverá ocasionar redução da demanda por combustíveis no país", citando redução da atividade econômica e medidas de restrição à circulação de pessoas e ao uso de transportes.

A empresa, no entanto, disse que "a evolução do surto continua volátil e há incerteza sobre seus efeitos e duração, tornando difícil, neste momento, estimar ou quantificar os potenciais impactos nos negócios", de acordo com o comunicado.

Petrobras reduz preços da gasolina em 12% e do diesel em 7,5%

Em meio a esse cenário, a BR, que tem a Petrobras como principal acionista, disse que ativou ainda em 13 de março um comitê de crise e que tem adotado medidas mitigadoras, "buscando a estabilidade das operações, normalidade no atendimento aos clientes e a preservação da saúde e bem-estar de colaboradores diretos e indiretos".

Alguns governos estaduais pelo Brasil têm buscado reduzir a circulação de pessoas com as crescentes restrições à abertura de estabelecimentos comerciais, mas postos de gasolina não têm sido enquadrados nas medidas por serem considerados serviços essenciais.

Na semana passada, diretor da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) afirmou à Reuters que postos de combustíveis no Brasil já haviam começado a observar redução acentuada das vendas, com alguns deles atingindo queda de mais de 50% da demanda.

Últimas