Economia Brainard, do Fed, diz que banco central está intensificando exploração do dólar digital

Brainard, do Fed, diz que banco central está intensificando exploração do dólar digital

MACRO-FED-BRAINARD-DIGITAL:Brainard, do Fed, diz que banco central está intensificando exploração do dólar digital

Reuters - Economia

Por Jonnelle Marte e Howard Schneider

(Reuters) - O Federal Reserve está intensificando suas pesquisas e outros esforços para explorar o potencial desenvolvimento de uma versão digital do dólar norte-americano em um momento em que mais consumidores estão usando pagamentos digitais e outros governos estão avançando com suas próprias moedas digitais, disse a diretora do Fed, Lael Brainard, nesta segunda-feira.

Como detentores da moeda de reserva mundial, os Estados Unidos devem estar altamente envolvidos à medida que os pagamentos digitais se tornam mais comuns e outros países desenvolvem moedas digitais que podem ser usadas para enviar dinheiro através das fronteiras, disse Brainard.

"O Federal Reserve está intensificando sua pesquisa e engajamento público em uma versão digital do dólar norte-americano", disse Brainard em declarações preparadas para um evento virtual da CoinDesk.

O banco central também deve antecipar as mudanças nas tendências de consumo e garantir que os norte-americanos tenham acesso ao "dinheiro seguro do banco central" à medida que os pagamentos digitais se tornam mais populares, complementou.

A maior disponibilidade de opções de pagamento digital de empresas privadas também ameaça "fragmentar" o espaço de pagamentos de forma que poderá criar atritos e deixar alguns consumidores de fora, alertou Brainard.

As principais questões de política econômica e tecnológicas terão de ser abordadas antes que o governo dos EUA possa avançar com uma moeda digital que seja inclusiva e segura, disse. Os formuladores de políticas monetárias também precisarão encontrar um equilíbrio entre o desenvolvimento de uma moeda digital que ofereça privacidade às famílias e, ao mesmo tempo, evite atividades ilícitas, acrescentou ela.

(Por Jonnelle Marte e Howard Schneider)

((Tradução Redação São Paulo, 55 11 5047 2838))

REUTERS PVB CMO

Últimas