Economia Brasil abre 249.388 vagas formais no melhor agosto desde 2010, diz Caged

Brasil abre 249.388 vagas formais no melhor agosto desde 2010, diz Caged

No acumulado do ano, porém, o saldo do emprego formal no país está negativo em 849.387 postos de trabalho com o impacto da pandemia

  • Economia | Do R7

Criação de vagas superou as demissões em agosto

Criação de vagas superou as demissões em agosto

Lidianne Andrade/MyPhoto Press/Folhapress - 28.08.2020

O número de empregos formais criados no Brasil em agosto superou as demissões em 249.388 postos, informou nesta quarta-feira (30) o Ministério da Economia. O dado consta do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados).

O resultado representa a diferença entre as 1.239.478 admissões e os 990.090 desligamentos nas empresas do país no mês passado. No geral, o Brasil tem agora 37,9 milhões de vagas com carteira assinada.

Trata-se do melhor resultado para meses de agosto desde 2010, quando foram abertos 299.415 postos com carteira assinada no Brasil. Em 2019, o mês de agosto foi responsável pela abertura de 121.387 cargos formais.

No ano de 2020, porém, o resultado do mercado de trabalho formal está no vermelho. Entre janeiro e agosto, houve 9.180.697 contratações e 10.030.084 desligamentos no país, o que provocou um saldo negativo de 849.387 postos de trabalho.

O saldo positivo do mercado surge no momento em que o desemprego atinge o maior patamar desde o início da série histórica, iniciada em 2012, com 13,1 milhões desocupadas, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Setores que lideram

Ao longo do mês, todos os segmentos de atividades apresentaram saldo positivo na criação de vagas com carteira assinada. A indústria, com saldo positivo de 92.893 postos formais, liderou a criação de vagas.

Também ficaram no azul a construção, que registrou saldo de 50.489 postos, o comércio, com 49.408 oportunidades, e os serviços, com 45.412 cargos criados acima das demissões. Em menor nível, aparece o setor agropecuário, com 11.213 novas vagas.

Últimas