Economia Brasil já viveu sensação de pleno emprego em 2014

Brasil já viveu sensação de pleno emprego em 2014

Taxa de desocupação atinge 9,1 mi de brasileiros, menor nível desde início da série histórica

  • Economia | Do R7

IBGE: Brasil tinha 1 mi de desempregados nas regiões metropolitanas em 2014

IBGE: Brasil tinha 1 mi de desempregados nas regiões metropolitanas em 2014

José Paulo Lacerda/16.06.2015/Divulgação/CNI

O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) informou nesta sexta-feira (15) que a taxa de desocupação no País chegou a 9% em outubro do ano passado — o que significa 9,1 milhões de desempregados, segundo a Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio). Trata-se do patamar mais baixo desde o início da série histórica, em 2012.

No entanto, o Brasil já viveu uma sensação bem diferente da atual: a proximidade do pleno emprego. Não faz muito tempo: foi em dezembro de 2014, no último ano do primeiro mandato de Dilma Rousseff.

A ideia de pleno emprego é vaga, mas basicamente significa que os trabalhadores que estão desempregados recusam empregos apenas por causa dos salários oferecidos (abaixo das suas expectativas) ou não têm acesso às vagas que existem.

Brasil perde 359 mil empregos com carteira assinada em três meses

Leia mais notícais de Economia

Em dezembro de 2014, o desemprego no País chegou a 4,3%, segundo a PME (Pesquisa Mensal de Emprego).

Ao contrário da Pnad, que analisa 211 mil domicílios 3.464 municípios em todos os Estados brasileiros, a PME é feita em seis regiões metropolitanas Recife, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre.

Com o resultado de dezembro daquele ano, 2014 terminou com taxa de desocupação de 4,8%, o que representava cerca de 1 milhão de pessoas desocupadas. Tratava-se do menor patamar do desemprego desde 2002, quando a PME passou a ser feita.

Últimas