Economia Comércio espera aumento de 4% nas vendas com liquidação de verão

Comércio espera aumento de 4% nas vendas com liquidação de verão

Com descontos que variam de 10% a 70%, grandes redes de varejo, shoppings e lojas de rua estão com promoções para desovar o estoque

Liquidação de verão também está virando tradição

Liquidação de verão também está virando tradição

GABRIELA BILó/ESTADÃO CONTEÚDO

Após Black Friday e Natal, a expectativa do comércio agora é com as liquidações de verão. Redes de varejo, shoppings e lojas de rua estão com promoções que variam de 10% a 70% de desconto. A estimativa é que as vendas em janeiro aumentem em até 4% com as ofertas em relação ao mesmo perído do ano passado.

Veja mais: Lojistas iniciam temporada de liquidação após as festas de fim de ano

"As liquidações de janeiro também estão virando uma tradição. Ainda não tem a intensidade da Black Friday, mas muita gente está adquirindo o hábito de comprar só nas promoções e espera a liquidação. Isso ajuda no movimento de janeiro, que sempre foi um mês fraco", afirma o economista da Associação Comercial de São Paulo, Marcel Solimeo.

Ele explica que as ofertas dependem do estoque. "Não dá para o lojista guardar o que sobrou para o outro ano, precisa de espaço e dinheiro. Por isso, tem muitas ofertas boas."

Loja com promoção na Rua Oscar Freire

Loja com promoção na Rua Oscar Freire

Ana Vinhas/R7

Segundo a Ablos (Associação Brasileira dos Lojistas Satélites), a liquidação de verão inclui todos os shoppings centers de todo país, com a finalidade de as lojas se desfazerem do estoque e abrir espaço para novos produtos da próxima coleção.

A associação espera crescimento de 4% em relação ao mesmo período de 2018, mesmo que o movimento não tenha sido, ainda nesta primeira semana, como esperado pelos lojistas.

O diretor de relações institucionais da Alshop (Associação Brasileira de Lojistas de Shopping), Luis Augusto Ildefonso da Silva, afirma que a expectativa é que o movimento seja bom em janeiro. Ele explica que após o Natal houve bom fluxo de pessoas nos shoppings, mas que costuma cair um pouco ao longo do mês.

Dicas de compras

Para não correr o risco de se endividar, antes de aproveitar a liquidação, o consumidor deve ter uma reserva financeira para cobrir despesas comuns de início de ano como o IPVA, IPTU, material e uniforme escolar, além de férias, segundo orientações do Procon.

O ideal é evitar comprar por impulso e limitar apenas ao necessário, evitando também compras financiadas com juros, uso do limite do cheque especial e rotativo do cartão de crédito.

Veja sete dicas do Procon

1 - Na hora da compra, principalmente em liquidações, é importante verificar o estado do produto, seu funcionamento e se o conteúdo está de acordo com os dados apontados na embalagem. O manual de instruções deve estar em língua portuguesa.

2 - No caso de itens vendidos com pequenos defeitos (roupas manchadas ou descosturadas, ou móveis/eletrodomésticos com partes amassadas, riscos, ou ainda, de mostruário), deve-se exigir que a loja coloque detalhadamente na nota fiscal, recibo ou pedido os problemas apresentados e, para estes problemas específicos, não há garantia.

3 - Antes de concluir a compra, o consumidor pode solicitar ao vendedor que teste os produtos eletroeletrônicos, inclusive aqueles que necessitam de pilha.

4 - A lei não obriga os fornecedores a trocarem produtos por motivo de cor, tamanho ou gosto. Nestes casos, a loja só terá que trocar a mercadoria caso tenha prometido. Solicite esse compromisso por escrito, em etiquetas ou nota fiscal, por exemplo.

5 - Se o produto apresentar algum problema que o torne impróprio para o consumo, o fornecedor tem 30 dias para resolver a pendência. Se não o fizer, o consumidor tem direito de exigir a troca da mercadoria por outra igual ou a devolução da quantia paga com correção monetária. Pode, ainda, optar pelo abatimento proporcional do preço.

6 - Nas compras realizadas pela internet, telefone, catálogo ou qualquer outra forma que seja fora do estabelecimento comercial, o consumidor poderá desistir da aquisição em até sete dias após o recebimento da mercadoria ou da assinatura do contrato.

7 - O consumidor deve formalizar, por escrito, a sua desistência e, se for o caso, devolver o produto recebido. Nesses casos, terá direito a devolução integral de qualquer valor que tenha sido pago (inclusive despesas com frete).