Economia Conta de luz ficará mais cara em junho com baixo nível de represas

Conta de luz ficará mais cara em junho com baixo nível de represas

Aneel informou que será cobrada bandeira vermelha 2, que tem custo de R$ 6,243 para cada 100 kWh consumidos

  • Economia | Do R7

Vista da Represa de Mairiporã (SP), com o volume menor que o normal para esta época do ano

Vista da Represa de Mairiporã (SP), com o volume menor que o normal para esta época do ano

JOãO NOGUEIRA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO-17/05/2021

A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) informou nesta sexta-feira (28) que em junho começará a vigor a bandeira tarifária vermelha, patamar 2. Isso significa que a conte de luz ficará mais cara, com custo de R$ 6,243 para cada 100 kWh consumidos.

Leia também: Governo alerta para a pior seca em 111 anos em cinco estados do Brasil

Segundo a agência, o motivo para a medida são os baixos níveis dos reservatórios por causa da falta de chuva. Neste ano, será a primeira vez que a bandeira vermelha 2 será acionada. Em maio, vigorou a bandeira vermelha 1, que aplica cobrança adicional de R$ 4,16 para cada 100 kWh consumidos.

"Maio foi o primeiro mês da estação seca nas principais bacias hidrográficas do SIN (Sistema Interligado Nacional), registrando condições hidrológicas desfavoráveis. Junho inicia-se com os principais reservatórios em níveis mais baixos para essa época do ano, o que aponta para um horizonte com reduzida geração hidrelétrica e aumento da produção termelétricas", afirma em nota.

Criado pela Aneel, o sistema de bandeiras tarifárias sinaliza o custo real da energia gerada. As cores verde, amarela ou vermelha (nos patamares 1 e 2) indicam se a energia custará mais ou menos em função das condições de geração.

Com o acionamento da bandeira vermelha em seu maior patamar é importante aos consumidores ações relacionadas ao uso consciente e ao combate ao desperdício de energia, orienta a agência.

Com a conta de luz mais cara, saiba economizar energia

Últimas