Economia Crédito consignado tem recorde de sanções contra instituições

Crédito consignado tem recorde de sanções contra instituições

Em junho, foram aplicadas 66 sanções em empresas que prestam serviços de correspondente, contra 48 em maio

Agência Estado - Economia
Desde o início da autorregulação, já são 25 os correspondentes banidos do sistema

Desde o início da autorregulação, já são 25 os correspondentes banidos do sistema

ANTONIO MOLINA/FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

Os bancos aplicaram em junho o maior número de punições a correspondentes bancários por desrespeito às regras do crédito consignado em um ano e meio, quando se iniciou a autorregulação adotada pela Febraban (Federação Brasileira de Bancos) e pela ABBC (Associação Brasileira de Bancos) para essa atividade. No mês, foram aplicadas 66 sanções, contra 48 em maio.

Leia também: Auxílio Brasil libera 30% do benefício para crédito consignado

Em junho, duas empresas tiveram suas atividades suspensas em definitivo. Desde o início da autorregulação, já são 25 os correspondentes banidos do sistema. Desde janeiro de 2020, quando o sistema passou a se autorregular, 550 empresas que prestam serviços de correspondente receberam sanções por atuação irregular no consignado, 270 correspondentes bancários foram advertidos e 114 tiveram suas atividades suspensas temporariamente.

A adesão à autorregulação é voluntária, mas as 34 instituições signatárias respondem por aproximadamente 99% do volume total da carteira de crédito consignado no país, conforme as entidades que representam os bancos. Pelas regras assumidas, é considerada falta grave qualquer forma de captação ou tratamento inadequado dos dados pessoais dos consumidores e os bancos que não aplicarem as sanções podem ser multados pelo Sistema de Autorregulação por conduta omissiva em até R$ 1 milhão.

Segundo a Febraban, desde o início da autorregulação já foram feitas 1,7 milhão de solicitações de bloqueios de telefone para o recebimento de ligações de oferta indesejadas sobre crédito consignado registradas na plataforma "Não me Perturbe" (https://www.naomeperturbe.com.br). Somente em junho, foram quase 590 mil pedidos, nível próximo ao observado em junho de 2020.

Últimas