Economia Decisão da Ford reflete falta de medidas do governo, diz Anfavea

Decisão da Ford reflete falta de medidas do governo, diz Anfavea

Entidades cobram necessidade de redução do chamado "Custo Brasil" para estimular a produção

  • Economia | Do R7, com Estadão Conteúdo

Ford decidiu fechar todas fábricas no Brasil

Ford decidiu fechar todas fábricas no Brasil

Divulgação/Ford

A Anfavea, entidade que representa as montadoras instaladas no Brasil, atribuiu à ausência de medidas capazes de aliviar o custo de produção no País a decisão anunciada pela Ford nesta segunda (11) de fechar todas as suas fábricas no Brasil.

Em nota, a associação, que por muitas vezes foi presidida por dirigentes da Ford diz que não se manifesta sobre decisões estratégicas de associadas. Porém, sustenta na sequência que a notícia corrobora os alertas a respeito da falta de medidas contra o custo Brasil.

Leia mais: Governo diz que decisão da Ford ‘destoa' da recuperação brasileira

"A Anfavea não vai se manifestar sobre o tema. Trata-se de uma decisão estratégica global de uma das nossas associadas. Respeitamos e lamentamos. Mas isso corrobora o que a entidade vem alertando, há mais de um ano, sobre a ociosidade da indústria (local e global) e a falta de medidas que reduzam o Custo Brasil", diz a entidade na íntegra da nota.

Fiesp

A Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) cobrou a necessidade de redução do chamado "Custo Brasil" ao comentar o fechamento das fábricas da Ford no Brasil. A entidade cobra que sejam feitas "urgentemente" reformas estruturais para melhorar o ambiente de negócios e aumentar a competitividade dos produtos brasileiros.

"Precisamos urgentemente fazer as reformas estruturais, baixar impostos e melhorar a competitividade da nossa economia para atrair investimentos e gerar os empregos de que o Brasil tanto precisa", destacou a entidade, em nota.

O texto menciona ainda a "alta carga tributária brasileira", alegando que ela faz diferença na hora da tomada de decisões. "O custo de cada automóvel produzido aqui, por exemplo, dobra apenas por conta dos impostos - e ainda há governantes que pensam no absurdo de aumentar tributos, como no caso da inacreditável alta do ICMS em São Paulo", lembrou a entidade, que traça uma batalha contra o aumento dos impostos estaduais paulistas.

Últimas