Economia Desemprego no país só foi pior em janeiro de 2017, mostra FGV

Desemprego no país só foi pior em janeiro de 2017, mostra FGV

Abertura de novas vagas ocorre, mas de forma bem lenta, uma situação que deve se manter no início de 2021

  • Economia | Do R7

Abertura de novas vagas ainda é muito lenta

Abertura de novas vagas ainda é muito lenta

Gerd Altmann/Pixabay

A FGV (Fundação Getulio Vargas) divulgou nesta quinta-feira (7) o índice que mostra que aumentou o nível de desemprego no país.

Leia mais: Desemprego atinge 14 milhões em novembro, maior nível da pandemia

O ICD (Indicador Coincidente de Desemprego) avançou 3,0 pontos em dezembro de 2020, indo para 102,6 pontos, pior resultado desde janeiro de 2017. 

“Com o fim do auxílio emergencial em dezembro, muitos consumidores voltaram a buscar emprego e encontraram dificuldade de retornar ao mercado de trabalho com baixas perspectivas de melhora significativa no curto prazo”, disse o economista do FGV IBRE Rodolpho Tobler.

A FGV divulgou também o Indicador Antecedente de Emprego, que mostra o ritmo de contratações na economia.

Apesar de mostrar melhora, com elevação de 1,2 ponto em dezembro, para 85,7 pontos, o resultado mostra que o mercado recupera muito lentamente as perdas de vagas por causa da pandemia de covid-19.

“O ritmo ainda deve permanecer lento nesse início de ano considerando o processo de transição dos programas emergenciais do governo e alta incerteza”, afirma Tobler. 

Últimas