Dólar engata 5ª alta consecutiva, vale R$ 5,84 e bate recorde nominal

Queda de 2,39% da moeda foi guiada pelo corte da taxa básica de juros da economia a 3% ao ano, o que pode resultar na fuga de investidores do País

Dólar se aproximou dos R$ 5,90 na máxima da sessão

Dólar se aproximou dos R$ 5,90 na máxima da sessão

Gary Cameron/Reuters - 14.11.2014

O dólar registrou nesta quinta-feira (7) a quinta alta consecutiva ante o real. A variação de 2,39% fez com que a moeda norte-americana fosse negociada a R$ 5,839 e batesse a maior cotação nominal desde a criação do Plano Real, em 1994.

Apesar do salto significativo, o patamar de fechamento ficou longe da máxima da sessão, registrada pela manhã, quando o dólar chegou a se aproximar dos R$ 5,90.

Na máxima do dia, a divisa norte-americana alcançou os R$ 5,878 e renovou também a maior cotação já registrada durante um pregão.

Leia mais: Entenda por que o dólar bate recorde e bolsa cai

Um dos fatores determinantes para o salto da moeda norte-americana foi a decisão do BC (Banco Central) pelo corte além do esperado que levou a taxa básica de juros ao patamar de 3% ao ano. Há um temor de que a redução da Selic afaste investidores estrangeiros do Brasil.

Ao comunicar o veredito, a autoridade monetária destacou a possibilidade de uma nova redução de até 0,75 ponto percentual na taxa Selic no próximo encontro do Copom, o que levaria os juros básicos a 2,25% ao ano.