Economia Faturamento da indústria tem alta de 2% em julho, diz CNI

Faturamento da indústria tem alta de 2% em julho, diz CNI

Segundo pesquisa Indicadores Industriais, esse é o segundo mês consecutivo de crescimento. Horas trabalhadas e emprego registraram queda

  • Economia | Pietro Otsuka*, do R7

Indústria registou alta de 2% no faturamento

Indústria registou alta de 2% no faturamento

Paulo Whitaker/Reuters

O faturamento real das indústrias teve alta de 2% no mês de julho, segundo dados da pesquisa Indicadores Industriais, da CNI (Confederação Nacional da Indústria). Esse foi o segundo mês consecutivo de crescimento e a primeira vez no ano que o faturamento cresce por dois meses seguidos.

Leia também: Indústria abrirá mais vagas nas áreas de TI e dados até 2023

No entanto, o aumento do faturamento não foi acompanhado de crescimento das horas trabalhadas na produção ou do emprego, que registraram queda pelo terceiro mês de forma consecutiva. Após o ajuste sazonal, as horas trabalhadas tiveram baixa de 0,5% em julho, em comparação com o mês anterior, acumulando recuo de 1,1% nos últimos três meses.

Já o emprego, apesar dos três meses de queda, segue próximo da estabilidade, com recuo acumulado no período de apenas 0,4%. O rendimento médio, por sua vez, recuou pelo segundo mês consecutivo, acumulando queda de 0,9% nos dois meses. 

Veja mais: Produção industrial acumula queda no 1º semestre de 2019, diz IBGE

A indústria continua estagnada e não registrou recuperação significativa em relação ao ano passado. Todos os indicadores mostram queda, ainda que inferiores a 1%, na comparação com julho de 2018. Da mesma forma, o acumulado até julho caiu na comparação com o mesmo período do ano anterior para todas as variáveis — exceto a média da utilização da capacidade instalada no período, que é a mesma nos dois anos. 

Massa salarial

Feito o ajuste sazonal, a massa salarial dos trabalhadores da indústria aumentou 0,2% em julho de 2019, após queda de 0,9% no mês anterior. Em relação ao valor pago em julho de 2018, a massa salaria paga é 0,9% inferior.

A comparação do acumulado entre janeiro e julho de 2019 com o mesmo período do ano passado mostra queda de 1,9%.

*Estagiário do R7, sob supervisão de Ana Vinhas

Últimas