Economia Funcionários da Avianca começam paralisação nesta sexta

Funcionários da Avianca começam paralisação nesta sexta

Liminar do TST determinou que companhia garanta 60% das operações da empresa durante greve de pilotos e comissários

Avianca

Greve acontece nos aeroportos Santos Dumont (RJ) e Congonhas (SP)

Greve acontece nos aeroportos Santos Dumont (RJ) e Congonhas (SP)

Aloisio Mauricio/ Fotoarena/ Estadão Conteúdo - 17.05.2019

Os pilotos e comissários da Avianca Brasil começaram paralisação às 6h desta sexta-feira (17) nos aeroportos de Santos Dumont, no Rio de Janeiro, e Congonhas, em São Paulo, segundo o SNA (Sindicato Nacional dos Aeronautas). 

O SNA diz que a greve continuará até que a companhia dê uma resposta satisfatória aos questionamentos dos funcionários. Segundo o presidente do sindicato, Ondino Dutra, a segurança de voo é a bandeira principal da paralisação.

O SNA afirma que "a paralisação unicamente dos empregados da Avianca não terá, portanto, a capacidade de prejudicar a sociedade". 

A reportagem procurou a Avianca Brasil e aguarda um posicionamento oficial sobre a greve dos funcionários. 

Liminar do TST

Na noite de quinta-feira (16), o TST (Tribunal Superior do Trabalho) concedeu uma liminar que determina a manutenção 60% do serviço da empresa durante o período de greve dos tripulantes. Caso os funcionários não cumpram a decisão, o SNA pode ser multado em R$ 100 mil por dia. 

Em nota divulgada em seu site, o SNA afirma que irá recorrer da decisão, que o movimento de greve está mantido e a paralisação unicamente dos empregados da Avianca não tem capacidade para prejudicar a sociedade, considerando que empresa possui apenas seis aeronaves em operação hoje em todo o País, representando pouco mais de 1% do total.