Economia Guedes defende liberdade para acordos bilaterais no Mercosul

Guedes defende liberdade para acordos bilaterais no Mercosul

Em sessão temática dos 30 anos do Tratado de Assunção, ministro sugere possível expansão inicialmente com acordos entre 2 países

Reuters
O ministro da Economia, Paulo Guedes

O ministro da Economia, Paulo Guedes

Edu Andrade/Ascom/ME - 16.03.2021

BRASÍLIA (Reuters) - O ministro da Economia, Paulo Guedes, defendeu nesta sexta-feira (23) que haja uma maior flexibilização para países-membros do Mercosul negociarem acordos individualmente, argumentando que é preciso respeitar os ritmos distintos dos sócios.

Em sessão temática do Senado para celebrar os 30 anos do Tratado de Assunção, que originou o bloco comercial que engloba Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai, Guedes mencionou a ideia de um membro "pioneiro" realizar um acordo comercial fora do bloco.

"Deixa um dos nossos membros fazer um acordo lá fora diferente. Se estiver bom, o conjunto, o grupo, avança naquela direção. Se não for bom, não avançamos", disse o ministro, que também defendeu uma redução da Tarifa Externa Comum.

"Nós achamos que é importante reduzirmos. Fizemos uma proposta de reduzir apenas 10%. Quando você fala 10%, você tem uma tarifa de 30% de um produto específico. Você está abaixando de 30 (%) para 27%, quer dizer, isso não machuca ninguém, isso é só para manter todo mundo aquecido", complementou.

No mês passado, os presidentes dos países que compõem o bloco reuniram-se, virtualmente, para celebrar os 30 anos do Mercosul.

Últimas