Economia Ibovespa sobe 1,05% e recupera os 98 mil pontos após quase um mês

Ibovespa sobe 1,05% e recupera os 98 mil pontos após quase um mês

Avanço levou o índice de referência do mercado acionário brasileiro à maior cotação desde o dia 18 de setembro

  • Economia | Do R7, com Reuters

Volume financeiro da sessão somou R$ 25,3 bilhões

Volume financeiro da sessão somou R$ 25,3 bilhões

Amanda Perobelli/Reuters - 25.7.2019

O Ibovespa fechou acima dos 98 mil pontos nesta terça-feira (13) pela primeira vez desde meados de setembro, com os papéis do Magazine Luiza e da B2W entre as maiores contribuições positivas e tendo renovado cotação recorde antes de novo desdobramento das ações.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa subiu 1,05%, a 98.502,82 pontos. O volume financeiro somava R$ 25,3 bilhões, contra média diária de cerca de R$ 29 bilhões em 2020.

A última vez que o Ibovespa havia fechado acima dos 98 mil pontos foi em 18 de setembro, a 98.289,71 pontos. Investidores do mercado brasileiro ainda monitoram a temporada de balanços no país, com CSN abrindo o calendário das companhias listadas no Ibovespa.

Agentes financeiros citaram comentários sobre a proposta de reforma tributária entre os componentes para o desempenho do Ibovespa na sessão, principalmente em razão das preocupações do efeito do calendário eleitoral na agenda de reformas.

Entre eles, agradou sinalização do presidente da comissão mista do Congresso sobre a reforma tributária, senador Roberto Rocha (PSDB-MA), de que tem a intenção de votar a proposta no colegiado até 10 de dezembro.

No exterior, Wall Street fechou no vermelho após começar a semana mais forte, diante da interrupção dos testes da vacina para a covid-19 em desenvolvimento pela Johnson & Johnson, enquanto Apple recuou em sessão com apresentação do iPhone 12.

Destaques

- MAGAZINE LUIZA ON saltou 5,96%, para a máxima histórica de fechamento de R$ 104, no último pregão antes do desdobramento da ações na proporção de 1 por 4, chegando a um valor de mercado de quase R$ 169 bilhões. Ações atreladas ao comércio eletrônico foram destaque mesmo. B2W avançou 6,73% e VIA VAREJO ON subiu 2,8%. Em Nova York, MERCADO LIVRE fechou com elevação de 4,39%.

- PETROBRAS PN ganhou 1,67%, encontrando suporte na alta dos preços do petróleo no exterior, que influenciados por dados robustos da China.

- ITAÚ UNIBANCO PN cedeu 0,96%, enquanto BRADESCO PN teve alta de 0,58%, em sessão mista para os papéis de bancos.

- EMBRAER ON caiu 2,99%, em meio a ajustes após subir mais de 5% nos últimos dois pregões. Investidores aguardam a divulgação sobre entregas e backlog da fabricante de aviões, que costuma sair antes do balanço, agendado para 28 de outubro.

Últimas