Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Inflação no Brasil fica abaixo da dos Estados Unidos em 8 meses seguidos

IPCA acumula alta de 4,2% nos 12 meses encerrados em abril, enquanto índice oficial dos EUA é de 4,9% no mesmo período

Economia|Do R7


Alta dos preços tem motivado discussões sobre juros
Alta dos preços tem motivado discussões sobre juros

A perda de ritmo da inflação, motivada pelo corte de impostos para reduzir o preço dos combustíveis e da energia elétrica, faz o índice oficial de preços do Brasil aparecer abaixo do apurado nos Estados Unidos desde setembro do ano passado.

De acordo com dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) acumula alta de 4,2% no acumulado dos 12 meses encerrados em abril. A taxa de inflação dos EUA é de 4,9% no mesmo período.

Fontes: IBGE/Departamento de Trabalho dos EUA
Fontes: IBGE/Departamento de Trabalho dos EUA

A inflação anual abaixo daquela apurada nos Estados Unidos é recorrente nos últimos 12 meses contou com o apoio das deflações registradas entre os meses de julho e setembro do ano passado.

Tal movimento tem motivado discussões a respeito das taxas de juros nos dois países. Enquanto o BC (Banco Central) segue com a Selic em 13,75% ao ano sob a justificativa de manter a inflação controlada, o FED (Federal Reserve) vê a necessidade de ainda monitorar o curso dos preços e elevou os juros, pela 10ª vez em maio, para a faixa de 5% a 5,25%, o maior nível em 16 anos

Publicidade

Para os próximos meses, a tendência pode ser revertida, já que o índice de preços nacional será influenciado negativamente pelas inflações negativas do terceiro trimestre de 2022. Com isso, o IPCA vai novamente superar o teto da meta estabelecida pelo CMN (Conselho Monetário Nacional), nível recuperado nos últimos dois meses.

Compartilhe no WhatsApp

Publicidade

Compartilhe no Telegram

Na última ata do Copom (Comitê de Política Monetária), o BC citou as previsões para os próximos meses como justificativa para manter a taxa Selic no maior nível dos últimos seis anos. De acordo com a autoridade monetária, chance de o IPCA fechar 2023 dentro da meta ainda é remota, de apenas 17%. Se confirmado, o resultado representará o terceiro furo consecutivo da meta de inflação.

Para os analistas do mercado financeiro, o IPCA deve finalizar o ano em 5,8%, patamar 1 ponto percentual acima do teto da meta do CMN. A projeção atual, no entanto, é menor do que a observada nas semanas anteriores e surge após a Petrobras extinguir a política de paridade internacional sobre o preço da gasolina e do diesel.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.