Economia Leilão dos Correios deve ocorrer no início de 2022, diz secretária de PPI

Leilão dos Correios deve ocorrer no início de 2022, diz secretária de PPI

Reunião do CPPI recomendou 18 novos ativos a serem qualificados. Juntos, eles podem somar R$ 31 bilhões em investimentos

  • Economia | Do R7

Secretária Martha Seillier (centro) dá entrevista coletiva após reunião do CPPI

Secretária Martha Seillier (centro) dá entrevista coletiva após reunião do CPPI

Reprodução

A secretária especial do Programa de Parcerias de Investimentos do Ministério da Economia, Martha Seillier, confirmou nesta quarta-feira (25), após reunião extraordinária do Conselho do Programa de Parcerias de Investimentos (CPPI), que o leilão dos Correios deve ocorrer "nos primeiros meses de 2022". A reunião teve a presença do presidente Jair Bolsonaro e do ministro da Economia, Paulo Guedes.

"O projeto de lei dos Correios já foi aprovado na Câmara e agora está no Senado, aguardando relatoria. A ideia é abrir ainda este ano a consulta pública e em, seguida, encaminhar os estudos ao Tribunal de Contas da União", Martha Seillier. "A expectativa é realizar o leilão no início de 2022."

Na reunião desta quarta-feira (25/8), foram recomendados 18 novos ativos a serem qualificados no âmbito do PPI, isto é, que terão prioridade nacional perante todos os agentes públicos, nas esferas administrativa e de controle da União, Estados, Distrito Federal e Municípios para fins de atração de investimentos privados. Somente esses novos ativos podem somar R$ 31 bilhões em investimentos.

Leilões em 2021

Segundo Martha, 46 leilões foram realizados em 2021, em diferentes áreas, como transportes, energia e saneamento. A expectativa de investimentos é de R$ 55,4 bilhões e, de outorga, R$ 26,8 bilhões. "Para 2022, estão previstos 121 ativos, com investimentos da ordem de R$ 296 bilhões", disse. "É uma carteira extensa. Poucos países do mundo terão algo parecido para oferecer no curto prazo."

Entre 2021 e 2022, de acordo com a secretária, o Brasil estará oferecendo uma quantidade enorme de ativos de infraestrutura e de empresas estatais para serem desestatizadas, "em alinhamento com a agenda do ministro Paulo Guedes de reduzir o tamanho do estado brasileiro, de torná-lo mais eficiente e menos custoso". "E principalmente melhorar o nível do serviço prestado à população lá na ponta", completou.

Martha Seillier afirmou que 25 aeroportos serão leiloados no ano que vem, entre eles Congonhas (São Paulo) e Santos Dumont (Rio de Janeiro), além de nove projetos rodoviários.

Paulo Guedes enfatizou a importância do CPPI para coordenar e promover a atração de investimentos privados para o país. “Estamos trabalhando fortemente para manter o nosso curso de investimentos e o resultado é esse: já temos 125 bilhões de reais arrecadados e mais de 500 bilhões de investimentos contratados. Isso mostra a amplitude do programa", afirmou.

Últimas