Mesmo com queda recente, Bitcoin segue como investimento vantajoso

Especialistas recomendam cautela ao apostar em lucro com as criptomoedas

Bitcoin desvalorizou quase 24% em menos de um mês

Bitcoin desvalorizou quase 24% em menos de um mês

Dado Ruvic/Illustration/File Photo/Reuters - 21.12.2017

O Bitcoin, mais famosa moeda virtual em circulação, atingiu sua maior cotação em meados de dezembro, quando bateu a marca de R$ 62.671 (US$ 19.343). A valorização acelerada provocou uma corrida de investidores em busca de ganhos significativos com a criptomoeda.

Desde então, as pessoas que apostaram na moeda amargaram uma perda de quase 24%, e têm a criptomoeda cotada abaixo de R$ 48 mil (US$ 14.750), segundo dados da consultoria Coindesk.

Apesar da forte desvalorização em um curto espaço de tempo, muitos investidores seguem na esperança de obter novos ganhos significativos com o Bitcoin e outras moedas virtuais. Para especialistas ouvidos pelo R7, ainda é vantajoso comprar Bitcoin, mas isso exige cautela.

Preço do Bitcoin deve bater os US$ 30 mil em 2018, diz especialista

Preço do Bitcoin deve bater os US$ 30 mil em 2018, diz especialista

Flickr/Andrey Danilovich

O empresário, investidor e especialista em criptomoeda Sérgio Tanaka aposta que o Bitcoin deve ganhar força a partir de fevereiro, voltar a bater recordes e dobrar de valor.

— Eu diria que neste ano o Bitcoin deve atingir o patamar de US$ 30 mil.

Qual é a criptomoeda que se valorizou 800% em um mês?

O coordenador do MBA em Marketing Digital da FGV (Fundação Getulio Vargas), André Miceli, classifica a queda recente do Bitcoin como algo “natural”. Segundo ele, a oscilação foi originada a partir do momento em que a Bolsa de Chicago passou a negociar a moeda em mercado futuro.

— É natural que nesse processo de amadurecimento apareçam profissionais com capacidade de manipular ou precificar de uma maneira mais coerente esses ativos.

Assim como Tanaka, Miceli também considera "inevitável" a retomada de ganho aos investidores. Ele afirma que isso deve ocorrer porque a quantidade de Bitcoins no mercado será fixa e a procura pela moeda segue crescente.

— É bastante provável que haja um movimento de recuperação porque a gente tem uma quantidade limitada de oferta, que vai ser o volume máximo de 21 milhões de unidades até 2040 e uma demanda que vem crescendo. Se a oferta é fixa e a demanda sobe, o preço cresce.

Mercado de Bitcoin é "altamente especulativo”

Mercado de Bitcoin é "altamente especulativo”

Flickr/Zach Copley

Cautela

Ainda que a percepção seja de ganho ao investir em Bitcoin, os especialistas recomendam que a decisão de aplicar parte das finanças no mercado de moedas virtuais precisa ser tomada com cuidado. 

Tanaka afirma que o Bitcoin está presente em um mercado “altamente especulativo” e destaca que isso afeta diretamente o valor da moeda.

De acordo com Miceli, a cautela é necessária porque os investidores compram Bitcoins por um motivo diferente daquele pelo qual adquirem outras moedas, como o dólar ou o euro.

— As pessoas estavam comprando os Bitcoins por um motivo muito mais próximo do qual se compra ativos de bolsa, que é ganhar dinheiro na valorização. Agora, acredito que as pessoas vão comprar os Bitcoins em um ritmo mais lento e encontrar outras moedas para investir buscando um retorno mais rápido.

Investimento em Bitcoin deve ser declarado no Imposto de Renda

Na mesma linha de pensamento de Miceli, o planejador patrimonial do Grupo GGR, Fernando Marcondes, diz que é necessário avaliar o Bitcoins como uma moeda tradicional, não como uma forma de investimento.

— Você vai precisar de sorte para estar na criptomoeda que vai dar certo. Mas, como é um mercado novo, é muito difícil afirmar que essa moeda é o Bitcoin. [...] No futuro, vão existir bilionários [que fizeram dinheiro com as moedas virtuais], mas vão existir também milhares [de pessoas] que vão perder dinheiro.