Inflação

Economia Não se pode baixar a guarda em relação à inflação, diz Banco Central

Não se pode baixar a guarda em relação à inflação, diz Banco Central

Mesmo com deflação, Roberto Campos Neto afirma que a autoridade monetária precisa passar o recado de que segue 'vigilante'

Reuters - Economia
Campos Neto observa que inflação de alimentos segue elevada

Campos Neto observa que inflação de alimentos segue elevada

Ueslei Marcelino/Reuters - 24.02.2021

O presidente do BC (Banco Central), Roberto Campos Neto, afirmou nesta sexta-feira (26) que a autoridade monetária não pode "baixar a guarda" em relação à inflação mesmo diante do cenário de deflação apresentado pelos índices oficiais.

Em evento da gestora 1618 Investimentos, Campos Neto ressaltou que, ainda que muito do que já foi feito na política monetária não tenha tido impacto sobre a economia, o BC precisa passar o recado de que segue "vigilante". 

"A gente acha que não pode baixar a guarda. A gente comemora obviamente números de inflação mais baixos, mas sempre clarificando que tem parte grande de medidas do governo. Nesse último número recente de inflação, por exemplo, alimentos veio bastante acima do que a gente esperava", afirmou.

O IPCA-15 registrou em agosto a maior deflação em quase 31 anos, de 0,73%, sob os efeitos de medidas que ajudaram na queda dos preços de combustíveis e energia elétrica. Os preços de alimentação e bebidas, no entanto, saltaram 1,12% no mês.

"A gente precisa olhar com bastante cautela", disse Campos Neto, reiterando que o BC esperava que alguns componentes da inflação fossem desacelerar mais rapidamente. A autoridade monetária avalia que as expectativas de inflação para 2023 e 2024 começaram a se acomodar e que vão começar a cair em algum momento. "Mas, de novo, a mensagem aqui é que não pode baixar a guarda", afirmou Campos Neto.

Últimas