Novo sistema do Banco Central vai permitir saques de dinheiro em lojas

Previsão anunciada por Roberto Campos Neto aponta que sistema de pagamentos instantâneos deve entrar em vigor em novembro

Saques em lojas serão gratuitos para pessoas físicas

Saques em lojas serão gratuitos para pessoas físicas

Agência Brasil

O presidente do BC (Banco Central), Roberto Campos Neto, disse nesta segunda-feira (22) que o novo sistema de pagamentos instantâneos que deve entrar em vigor em novembro vai permitir serviços de saques em redes varejistas, como alternativa ao sistema bancário.

"As regras e os primeiros detalhamentos desse produto serão apresentados na próxima reunião do Fórum de Pagamentos Instantâneos, em agosto", disse Campos Neto.

Ainda segundo Campos Neto, a possibilidade de saques em redes varejistas busca trazer "mais eficiência, por meio da reutilização do dinheiro no varejo e do aproveitamento dessa rede, acompanhando a evolução tecnológica e atendendo às necessidades da indústria e dos cidadãos".

Leia também: BC determina suspensão de pagamentos por WhatsApp

Os pagamentos instantâneos correspondem às transferências monetárias eletrônicas em que a transmissão da ordem de pagamento e a disponibilidade de fundos para o usuário recebedor ocorre em tempo real. Segundo o BC, uma vez em operação o PIX não terá limite de horário para as transferências.

Conforme o BC, as transferências vão ocorrer diretamente da conta do usuário pagador para a conta do usuário recebedor, sem a necessidade de intermediários, o que permite que os custos de transação sejam menores.

Leia mais: BC autoriza uso de imóvel como garantia de mais de um empréstimo

Campos Neto afirmou que o PIX será gratuito para as pessoas físicas. Com isso, segundo ele, o PIX terá igualdade de condições em relação a outros meios de pagamentos. "Confio que as instituições participantes desenvolverão modelos de negócio e estratégias interessantes e economicamente atrativas, ofertando o PIX às empresas, de modo a refletir o baixo custo e agregar serviços que gerem valor para os clientes."

Ele disse ainda que o projeto "não se encerra em novembro". "Temos uma agenda evolutiva preparada para o PIX, e diversos novos produtos e funcionalidades serão lançados nos próximos anos."