Economia Número de postos lacrados por adulteração nos combustíveis dobrou em 2016

Número de postos lacrados por adulteração nos combustíveis dobrou em 2016

Adulteração dos líquidos motivou 38,2% das interdições efetuadas no ano passado

Número de postos lacrados por adulteração nos combustíveis dobrou em 2016

A quantidade de estabelecimentos lacrados por adulteração no ano passado foi a maior verificada desde 2011

A quantidade de estabelecimentos lacrados por adulteração no ano passado foi a maior verificada desde 2011

Rafael Neddermeyer/Fotos Públicas

A quantidade de postos de combustíveis interditados por adulteração no Brasil saltou de 68 para 137 na passagem de 2015 para 2016, segundo dados obtidos com exclusividade pelo R7, com base na Lei de Acesso à Informação.

Ao longo de todo o ano passado, foram lacrados 358 postos de combustível instalados no País. Desses, 137 apresentavam irregularidades ao revenderem combustíveis líquidos. Significa dizer que 38,2% das interdições de estabelecimentos efetuadas em 2016 foram motivadas por adulteração.

A quantidade de estabelecimentos lacrados por adulteração no ano passado foi a maior verificada desde 2011, quando a ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) realizou alterações no sistema. Em 2012, 2013 e 2014 foram realizadas, respectivamente, 75, 122 e 90 interdições em postos de combustíveis no Brasil.

Projetos no Congresso cobram reajuste imediato do preço da gasolina ao consumidor

Apesar de não observar uma explicação para o aumento do número de postos interditados por adulteração nos combustíveis, o presidente do Sincopetro (Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado de São Paulo), José Alberto Gouveia, afirma que a competitividade do mercado de combustíveis pode levar o dono dos estabelecimentos a cometer irregularidades para conseguir praticar preços mais atraentes.

— O revendedor talvez teve um aperto ou dificuldade financeira e achou que o caminho mais fácil é esse. Na realidade, a gente luta muito contra isso. Tudo o que a gente faz aqui é visando defender o posto honesto, mas não está fácil.

Danos ao veículo

De acordo com o pesquisador da área de motores do laboratório de energia térmica do IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas), Marco Isola Naufal, o abastecimento de um veículo com combustível adulterado vai ocasionar em um problema de detonação ou batida de pino no motor.

— Um combustível adulterado provoca batida de pino. Essa batida de pino seria um fenômeno de combustão anormal que seria prejudicial ao desempenho e, em caso de recorrência com o uso prolongado do combustível adulterado, isso poderia resultar até em uma quebra do motor com uma falha em componente.

Metade dos postos de combustíveis interditados no Brasil possui bandeira tradicional

Naufal afirma ainda que o uso recorrente de uma gasolina ou etanol de má qualidade pode provocar ainda danos na vela, queima das juntas de cabeçote, quebra de canaletas do pistão, comprometer a compressão do motor e danificar o catalizador, que é responsável pelo controle das emissões de poluentes do veículo.

Gouveia orienta que os consumidores tenham conhecimento do desempenho de seus veículos e procurem abastecer sempre no mesmo posto para evitar possíveis dores de cabeça ocasionadas pela adulteração nos combustíveis.

— Quando você abastece sempre no mesmo lugar você tem como garantia a questão de que se der um problema você sabe onde foi.

    Access log