Economia Passagens em promoção de aérea argentina esgotam em três horas

Passagens em promoção de aérea argentina esgotam em três horas

Primeira rota oferecida pela companhia será do Rio de Janeiro a Buenos Aires e voos sairão a partir de R$ 410

Flybondi

Maurício Sana, da Flybondi, durante anúncio da primeira rota no Brasil

Maurício Sana, da Flybondi, durante anúncio da primeira rota no Brasil

Giuliana Saringer/R7

A low cost argentina Flybondi começa a operar no Brasil a partir da próxima sexta-feira (11). O primeiro voo sairá do aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro, para o El Palomar, em Buenos Aires.

Para comemorar o início das operações no Brasil, a empresa estava vendendo passagens do Rio de Janeiro a Buenos Aires por R$ 123, mas devido ao preço baixo, as vendas esgotaram em três horas, por volta do meio dia desta quarta-feira (2). 

Leia também: Companhia aérea servirá chope direto do barril em voos

A partir de agora, companhia promete voos com preços a partir de R$ 410.

A previsão é que as operações sejam expandidas, a partir do dia 20 de dezembro deste ano, e os consumidores tenham voos, também, de Florianópolis a Buenos Aires.

A Flybondi já tem 230 voos programados e 44 mil assentos vendidos até 31 de março de 2020.

A expectativa é de que haja 400 voos por ano e 75 mil assentos vendidos.

Redução de custos

Segundo a companhia, um dos padrões que sustentam o modelo low cost é a quantidade de assentos nos voos. São vendidos apenas cadeiras econômicas e há menos espaço entre as cadeiras.

O avião do modelo Boeing 737 (B-737 800), por exemplo, possui 189 assentos no modelo low cost, enquanto uma aeronave de companhias tradicionais têm, em média, 150.

Leia mais: 'Skiplagging': o truque para comprar passagem de avião mais barata que as companhias aéreas odeiam

O tempo de saída de passageiros e entrada de novos para outros voos também é menor. Isso varia de 25 a 30 minutos, aumentando a quantidade de vezes que a aeronave voa por dia.

O serviço de bordo é pago a parte, assim como as bagagens - taxas variam de acordo com o tamanho da mala. 

Ao embarcar, o passageiro pode comprar uma "raspadinha" por cerca de R$ 2. Ao raspar o espaço indicado, o passageiro pode ganhar um produto, como uma garrafa de água, um pacote de salgadinho ou uma porção de mandioca frita.

Por que começar pelo Rio de Janeiro e Florianópolis?

O diretor comercial da Flybondi Mauricio Sana afirma que Rio de Janeiro e Florianópolis foram os primeiros estados escolhidos para a operação da Flybondi devido ao tráfego em relação a Argentina.

O Rio de Janeiro foi escolhido devido ao tráfego de argentinos que moram no estado devido ao turismo e voltam ao país de origem para visitar familiares e amigos. Já no caso de Florianópolis, o destino foi escolhido pelo potencial turístico.

A empresa possui o direito para operar em 17 cidades brasileiras, inclusive São Paulo. Para Sana, é preciso entender melhor o mercado brasileiro para operar no local.

"Esse tipo de situação não é eliminar uma rota, tenho que fazer mais passos para entrar (em São Paulo)" afirma Sana.

Hoje são cinco aviões que operam em 26 rotas e 17 destinos, sendo dois brasileiros.

Operações no país

A empresa recebeu a autorização de funcionamento, emitida pela Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) , em fevereiro deste ano, e a operacional em julho.

A empresa é a terceira low cost autorizada a operar no país, atrás da chilena Sky Airline e a norueguesa Norwegian Air.