Passagens em promoção de aérea argentina esgotam em três horas

Primeira rota oferecida pela companhia será do Rio de Janeiro a Buenos Aires e voos sairão a partir de R$ 410

Maurício Sana, da Flybondi, durante anúncio da primeira rota no Brasil

Maurício Sana, da Flybondi, durante anúncio da primeira rota no Brasil

Giuliana Saringer/R7

A low cost argentina Flybondi começa a operar no Brasil a partir da próxima sexta-feira (11). O primeiro voo sairá do aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro, para o El Palomar, em Buenos Aires.

Para comemorar o início das operações no Brasil, a empresa estava vendendo passagens do Rio de Janeiro a Buenos Aires por R$ 123, mas devido ao preço baixo, as vendas esgotaram em três horas, por volta do meio dia desta quarta-feira (2). 

Leia também: Companhia aérea servirá chope direto do barril em voos

A partir de agora, companhia promete voos com preços a partir de R$ 410.

A previsão é que as operações sejam expandidas, a partir do dia 20 de dezembro deste ano, e os consumidores tenham voos, também, de Florianópolis a Buenos Aires.

A Flybondi já tem 230 voos programados e 44 mil assentos vendidos até 31 de março de 2020.

A expectativa é de que haja 400 voos por ano e 75 mil assentos vendidos.

Redução de custos

Segundo a companhia, um dos padrões que sustentam o modelo low cost é a quantidade de assentos nos voos. São vendidos apenas cadeiras econômicas e há menos espaço entre as cadeiras.

O avião do modelo Boeing 737 (B-737 800), por exemplo, possui 189 assentos no modelo low cost, enquanto uma aeronave de companhias tradicionais têm, em média, 150.

Leia mais: 'Skiplagging': o truque para comprar passagem de avião mais barata que as companhias aéreas odeiam

O tempo de saída de passageiros e entrada de novos para outros voos também é menor. Isso varia de 25 a 30 minutos, aumentando a quantidade de vezes que a aeronave voa por dia.

O serviço de bordo é pago a parte, assim como as bagagens - taxas variam de acordo com o tamanho da mala. 

Ao embarcar, o passageiro pode comprar uma "raspadinha" por cerca de R$ 2. Ao raspar o espaço indicado, o passageiro pode ganhar um produto, como uma garrafa de água, um pacote de salgadinho ou uma porção de mandioca frita.

Por que começar pelo Rio de Janeiro e Florianópolis?

O diretor comercial da Flybondi Mauricio Sana afirma que Rio de Janeiro e Florianópolis foram os primeiros estados escolhidos para a operação da Flybondi devido ao tráfego em relação a Argentina.

O Rio de Janeiro foi escolhido devido ao tráfego de argentinos que moram no estado devido ao turismo e voltam ao país de origem para visitar familiares e amigos. Já no caso de Florianópolis, o destino foi escolhido pelo potencial turístico.

A empresa possui o direito para operar em 17 cidades brasileiras, inclusive São Paulo. Para Sana, é preciso entender melhor o mercado brasileiro para operar no local.

"Esse tipo de situação não é eliminar uma rota, tenho que fazer mais passos para entrar (em São Paulo)" afirma Sana.

Hoje são cinco aviões que operam em 26 rotas e 17 destinos, sendo dois brasileiros.

Operações no país

A empresa recebeu a autorização de funcionamento, emitida pela Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) , em fevereiro deste ano, e a operacional em julho.

A empresa é a terceira low cost autorizada a operar no país, atrás da chilena Sky Airline e a norueguesa Norwegian Air.