Economia PIB do 2º trimestre deve frustrar animação com retomada

PIB do 2º trimestre deve frustrar animação com retomada

Estimativas apontam para a estabilidade da produção de bens e serviços em relação ao primeiros três meses de 2021

  • Economia | Alexandre Garcia, do R7

Previsões apontam para 4ª alta trimestral do PIB

Previsões apontam para 4ª alta trimestral do PIB

Marcos Santos/USP Imagens

Após saltar 1,2% no primeiro trimestre em comparação com os três últimos meses do ano passado e recuperar o patamar pré-pandemia, o PIB (Produto Interno Brasil) do segundo trimestre será divulgado na manhã desta quarta-feira (1º).

O resultado esperado, no entanto, deve representar uma estabilidade da produção de bens e serviços e frustrar as expectativas de retomada com um crescimento mais significativo.

"Dificilmente nós vamos crescer mais do que 0,2% em relação ao primeiro trimestre. A alegria diminuiu bastante", afirma o economista Roberto Dumas, do Insper. "O cenário ficou bem mais desafiador e é possível diminuir a animação."

Apesar de baixo, o resultado deve representar o quarto desempenho trimestral positivo consecutivo da economia brasileira, depois dos recuos no primeiro (-2,2%) e no segundo (-9,2%) trimestres de 2020, períodos mais afetados pela pandemia do novo coronavírus.

Devido à queda acumulada de 4,1% da economia ao longo do ano passado, Dumas destaca que a alta do PIB de 2021 será irrisória. De acordo com as mais recentes expectativas do mercado financeiro, a economia brasileira deve crescer 5,22% neste ano.

"Há um ou três meses antecipávamos que o PIB ia crescer 5,4% neste ano, o que não é muito significativo, tendo em vista que partimos de uma queda de 4,1% no ano passado e uma enorme parte significa herança estatística", avalia o economista.

Últimas