Economia Preço da casa própria sobe 0,2% em maio e 'apê padrão' custa R$ 474 mil

Preço da casa própria sobe 0,2% em maio e 'apê padrão' custa R$ 474 mil

Valor médio do metro quadrado construído no País avançou 0,92%, no acumulado de 2020, para R$ 7.294, aponta FipeZap

  • Economia | Alexandre Garcia, do R7

Preço dos imóveis mantém alta em meio à pandemia

Preço dos imóveis mantém alta em meio à pandemia

Pixabay

O preço médio de venda dos imóveis residenciais no Brasil manteve a trajetória de alta do período pré-pandemia e subiu 0,23% no mês de maio, segundo dados divulgados nesta terça-feira (2), pelo índice FIpeZap, que acompanha a varação do preço da casa própria em 50 cidades.

Com o resultado do mês passado, o valor médio do metro quadrado construído no País avançou a R$ 7.294. A variação ocorre após altas nos meses anteriores, que levaram o índice a uma variação nominal de 0,92% no acumulado dos cinco primeiros meses de 2020.

Leia mais: Saiba como adiar a prestação do financiamento imobiliário

Com a valorização no valor dos imóveis construídos, o FipeZap deve corresponder a uma alta real (acima da inflação) de 0,63% no mês passado e de 1,1% no acumulado de 2020, caso as expectativas para o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) sejam confirmadas.

Com o novo valor médio do metro quadrado, é possível afirmar que para se tornar proprietário de um apartamento padrão, com 65 m² e até dois dormitórios no Brasil, sai por, em média, R$ 474 mil em território nacional.

A alta no acumulado do ano foi impulsionada pelo comportamento dos preços em Florianópolis (SC), Curitiba (PR) e Campo Grande (MS), locais onde os imóveis ficaram, respectivamente, 3,67%, 2,72% e 2,56% em 2020.

Municípios

Entre as cidades que compõem o índice, o Rio de Janeiro (RJ) permanece como o local com o preço do metro quadrado mais caro do Brasil, de R$ 9.330, após acumular alta de 0,21% em maio.

A capital fluminense continua seguida de perto por São Paulo (SP), que acumulou uma valorização de 1,29% no valor do metro quadrado ao longo dos cinco primeiros meses de 2020, para, em média, R$ 9.105.

Na disputa pela terceira colocação do ranking Brasília (DF) se manteve na frente de Balneário Camboriú (SC) com o preço médio do metro quadrado construído estimado em R$ 7.444.

Leia mais: Com juros baixos, vale a pena comprar imóvel em época de crise?

A capital catarinense, por sua vez, registrou alta de 0,47% no valor do espaço mínimo de terra, para R$ 7.331, e completa a relação de localidades com o valor do metro quadrado acima da média nacional.

Na outra ponta do índice, a cidade de Betim (MG) segue com o metro quadrado mais barato do país (R$ 3.126). O município mineiro é seguido por São José dos Pinhais (PR), Pelotas (RS) e Contagem (MG). Nas localidades, cada espaço mínimo de terra está avaliado por R$ 3.419, R$ 3.631 e R$ 3.834, respectivamente.

Entre as capitais, as três mais baratas para adquirir um imóvel são Campo Grande (MS), Goiânia (GO) e João Pessoa (PB), onde cada metro quadrado construído custam, em média, R$ 4.238, R$ 4.297 e R$ 4.299.

Últimas