Economia Pronampe tem 36 mil operações em 24h em um único banco

Pronampe tem 36 mil operações em 24h em um único banco

Velocidade revela a importância do programa para a retomada das atividades do segmento de micro e pequenas empresas

  • Economia | Sara Santos, do R7*

Programa tem taxa de juros anual máxima igual à taxa Selic, que pode ser acrescida de 6%

Programa tem taxa de juros anual máxima igual à taxa Selic, que pode ser acrescida de 6%

Divulgação


Na última quinta-feira (8), o Banco do Brasil atingiu o teto de recursos disponíveis na nova fase do Pronampe (Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte).

Desde quarta-feira (7), foram contratadas 36 mil operações de crédito por micro e pequenas empresas, com ticket médio de R$ 89 mil, totalizando R$ 3,2 bilhões contratados.

Para Fausto Ribeiro, presidente do Banco do Brasil, a velocidade revela a importância do Pronampe para a retomada das atividades pelo segmento de micro e pequenas empresas e demonstra a força da rede de atendimento do Banco do Brasil no apoio aos clientes.

"A nova fase do Pronampe chegou em um momento muito importante, de retomada das atividades, com condições adequadas de crédito, e foi muito bem recebido pelas empresas que buscam se preparar para um novo momento da economia. Se nas primeiras fases o Pronampe foi importante para ajudar muitas empresas a atravessar um período de dificuldade, hoje o Programa ajuda o segmento a dar um passo à frente e assim se preparar para um momento de maior crescimento da atividade econômica", disse Fausto.

O que é o programa

O Pronampe, criado para no ano passado para combater os efeitos da pandemia de covid-19 na economia, se tornou política permanente do governo federal em junho deste ano. Nessa nova rodada, oferecerá R$ 5 bilhões de crédito a pequenas empresas. Segundo o governo, o valor deve ser suficiente para alavancar até R$ 25 bilhões em financiamentos com a participação de bancos públicos e privados. Do total dos recursos, 20% precisarão ser destinados ao setor de eventos.

A taxa de juros anual máxima é igual à taxa Selic, que pode ser acrescida de 6%, no máximo, sobre o valor concedido; e data de contratação da operação de crédito entre 5 de julho e 31 de dezembro de 2021.

Pelo desenho que vigorou até o fim do ano passado, o custo do financiamento para o tomador era de 1,25% mais a taxa básica de juros, a Selic. Agora, o texto prevê cobrança de Selic mais 6%.

Quem pode participar

Os empreendedores podem procurar a instituição financeira de sua preferência para contratar o crédito. Mas as pessoas que poderão acessá-lo são aquelas que já receberam a carta da Receita Federal, a qual conterão informações sobre os valores de receita bruta relativa a 2019 e 2020, apurados por meio do Programa Gerador do Documento de Arrecadação do Simples Nacional - Declaratório (PGDAS-D) ou Escrituração Contábil Fiscal (ECF), conforme o caso; e o hash code (código com letras e números) para validação dos dados junto aos agentes financeiros participantes do Pronampe.

No Banco do Brasil, as operações do Pronampe podem ser contratadas nas agências ou por canais digitais. O vice-presidente de Varejo do BB, Carlos Motta, destaca que o novo Pronampe agora tem caráter permanente e que são esperadas novas etapas de liberação de recursos. "O Pronampe se soma a um conjunto robusto de soluções de crédito do Banco do Brasil para apoiar as micro e pequenas empresas, formando o mais completo portfólio de soluções bancárias para o segmento", disse Motta.

Fundo Garantidor das Operações

Além de atuar como banco comercial na oferta da linha de crédito aos seus clientes, o Banco do Brasil também exerce o papel de administrador do FGO (Fundo Garantidor de Operações), responsável pelas garantias do Pronampe.

Para o vice-presidente de Governo do Banco do Brasil, Antônio Barreto, o Banco do Brasil cumpre de forma rápida e eficiente suas duas missões nesse processo. "A primeira: levar os recursos a quem mais precisa, o micro e pequeno empreendedor que tanto serve de pilar da conservação de empregos no nosso país. Fazemos isso sempre atentos à técnica na aplicação do crédito. A segunda, como gestor do Fundo Garantidor, atuamos desde a concepção e aperfeiçoamento das regras, para ofertar o suporte operacional e melhorias tecnológicas necessárias para as demais instituições financeiras também fazerem uso de seus limites, ampliando a rede de crédito aos micro e pequenos empreendedores", disse Barreto.

*Estagiária do R7, com supervisão de Ana Vinhas

Últimas