Economia Senado aprova texto-base de projeto sobre distrato imobiliário

Senado aprova texto-base de projeto sobre distrato imobiliário

Texto permite que as construtoras fiquem com até 50% dos valores pagos pelo consumidor em caso de desistência da compra

Texto deve voltar a ser analisado nesta quarta-feira

Texto deve voltar a ser analisado nesta quarta-feira

Pixabay

O Senado aprovou nesta terça-feira (20) o texto-base do projeto que define regras para a desistência da compra de imóveis na planta, o chamado distrato imobiliário

O texto prevê multas de até 50% sobre o valor pago pelo consumidor em caso de rescisão do negócio, porcentual considerado alto por representantes de interesses dos consumidores, uma vez que, atualmente, a jurisprudência dos tribunais determina uma retenção em torno de 10% a 25%.

Polêmico, o projeto chegou a ser rejeitado pela Comissão de Assuntos Econômicos do Senado em julho, mas um recurso foi apresentado para que houvesse nova apreciação.

Metade dos imóveis vendidos volta à construtora devido aos distratos

Entre os parlamentares que apoiam a proposta, existe a visão de que o distrato pode contribuir para destravar o mercado imobiliário, em crise nos últimos anos e, assim, melhorar o ambiente econômico do País.

Os senadores voltarão a se reunir nesta quarta (21) para analisar as emendas apresentadas ao projeto e concluir a votação. A proposta deverá ainda voltar para análise da Câmara.

Chaves

A proposta estabelece ainda que o atraso de até 180 dias para a entrega do imóvel não gerará ônus para a construtora. Mas, se houver atraso maior na entrega das chaves, o comprador poderá desfazer o negócio, tendo direito a receber tudo o que pagou de volta, além da multa prevista em contrato, em até 60 dias.

Se não houver multa prevista, o cliente terá direito a 1% do valor já desembolsado para cada mês de atraso.

Confira quais são os direitos em caso de distrato

    Access log