Educação 'Aliviada', diz estudante que está prestes a renegociar dívida do Fies

'Aliviada', diz estudante que está prestes a renegociar dívida do Fies

Governo federal regulamentou novas regras, que passam a valer nesta segunda, e oferece descontos de até 92% do saldo devedor

  • Educação | Alex Gonçalves*, do R7

Isis Felix Cardoso, 30 anos

Isis Felix Cardoso, 30 anos

Divulgação/Arquivo pessoal

Isis Felix Cardoso, 30 anos, mora em São Paulo e está "aliviada" ao ver a possibilidade de renegociar sua dívida com o Fies (Fundo de Financiamento Estudantil). A jovem está inadimplente há cerca de sete anos. 

O governo federal regulamentou as novas regras para a renegociação das dívidas com descontos de até 92% do saldo devedor. O acerto de contas já pode ser realizado a partir desta segunda-feira (7), por meio dos agentes credores do Fies.

"Eu fiquei muito feliz e ao mesmo tempo aliviada com a possibilidade de renegociar os valores que estavam em aberto", desabafa Isis. Com a simulação de renegociação no programa, o valor atual de sua dívida caiu de R$ 7.891 para R$ 1.065. "Eu fiz a simulação no site da Caixa Econômica. Em cima desse valor e das condições da renegociação da dívida foram ofertados 87% desconto", explica a jovem, que vai aderir à opção de parcelamento em até cinco vezes.

Com a chance de seguir os estudos sem restrições, a sensação de "ter uma dívida" já não existe mais. Isis cursa pedagogia e se prepara para a maratona dos concursos públicos dentro de sua área de formação. 

Ela também não pretende mais usar o modelo para financiamento de crédito estudantil. "No momento não pretendo usar o Fies. Hoje em dia tenho recursos para poder arcar com as despesas da minha formação."

Renegociação do Fies

Os estudantes inadimplentes com o Fies podem realizar a renegociação das dívidas a partir desta segunda-feira (7).

Quem está com pagamentos atrasados entre 90 e 360 dias recebe desconto de até 12% no saldo devedor, isenção de juros e multas e condições de parcelamento em até 150 vezes. Aos que possuem um período superior a 360 dias de inadimplência, o desconto pode chegar a 86,5%.

Caso o estudante seja inscrito no CadÚnico ou beneficiário do Auxílio Emergencial, o desconto poderá chegar a 92%. É possível parcelar o saldo da dívida em até dez vezes.

Como renegociar

O Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal são os responsáveis pela renegociação das dívidas. O estudante deve consultar a página dos bancos para verificar as chances de solicitação para renegociação, de acordo com as regras estabelecidas.

Com a aprovação, o interessado deve pagar o valor de entrada já no ato, que corresponde à primeira parcela, ou caso opte pela quitação de uma só vez, da parcela única. Vale destacar que o valor mínimo da prestação é de R$ 200.

* Estagiário do R7 sob supervisão de Karla Dunder

Últimas