Educação Aluno leva ouro em Olimpíada de Matemática e põe Brasil no 'top 10'

Aluno leva ouro em Olimpíada de Matemática e põe Brasil no 'top 10'

País ficou na 10ª posição em ranking internacional, passando até o Japão. Desempenho de Pedro Cabral e de mais cinco estudantes fez a diferença  

Pedro estudou 11 horas por dia

Pedro estudou 11 horas por dia

Arquivo Pessoal

Pedro Gomes Cabral, de 18 anos, realizou um sonho: conquistou a medalha de ouro na Olimpíada Internacional de Matemática. Além da realização pessoal, o jovem, ao lado de mais cinco estudantes brasileiros, conseguiu colocar o Brasil entre os dez melhores do mundo.

Nesta edição de 2020, com 165 pontos, a equipe ficou à frente de países como Japão, França Alemanha e Canadá. Todos os jovens conquistaram medalhas, sendo um ouro e cinco pratas.

Pedro conta que começou a se preparar em 2016 para as provas. "Eu morava em Recife, participei de competições nacionais e com isso ganhei uma bolsa em um colégio de Fortaleza", conta o jovem que concluiu o ensino médio no passado. 

Atualmente matriculado no curso de Matemática na Ecole Polytechnique de Paris, na França, Pedro aproveitou esse período de isolamento social imposto pela pandemia de coronavírus para se dedicar aos estudos — "foram 11 horas por dia", conta ele. 

"A prova deste ano foi diferente, não viajamos para a Rússia, como era o esperado, fizemos aqui no Brasil", diz. "Todos estavam reunidos em uma sala, com um professor supervisionando, além das câmeras, claro que sentimos a pressão, mas foi melhor por ser em 'casa'."

Pedro em uma das conquistas de medalha

Pedro em uma das conquistas de medalha

Arquivo Pessoal

Filho único, pai engenheiro e a mãe formada em ciências da computação, o jovem medalhista sempre teve apoio para estudar e participar de competições de matemática. "O estímulo foi grande em casa e acredito que conquistar essa medalha também é uma forma de mostrar que é possível, que podemos e somos capazes de ir muito longe."

As medalhas de prata ficaram com: Bernardo Peruzzo Trevizan, de São Paulo (SP); Guilherme Zeus Dantas e Moura, de Maricá (RJ); Pablo Andrade Carvalho Barros, de Teresina (PI); Francisco Moreira Machado Neto e Gabriel Ribeiro Paiva, ambos de Fortaleza (CE).

Últimas