Educação Conheça a estudante que saiu da escola pública para fazer faculdade na Espanha

Conheça a estudante que saiu da escola pública para fazer faculdade na Espanha

Aluna de Etec é selecionada para cursar engenharia química na cidade de Jaén com bolsa de estudos devido ao histórico escolar

  • Educação | Marcela Virgulino*, do R7

Resumindo a Notícia

  • Aluna de Etec foi aprovada em universidade da Espanha por ter boas notas
  • Curso de espanhol ajudou a estudante a cursar engenharia química fora do Brasil
  • Jovem criou uma vaquinha na internet para realizar o grande sonho
Bianca Stefanini, 18 anos, aprovada na Universidade de Jaén

Bianca Stefanini, 18 anos, aprovada na Universidade de Jaén

Arquivo Pessoal

A estudante Bianca Letícia Stefanini, da Etec (Escola Técnica Estadual) José Carlos Seno Júnior, em Olímpia, no interior de São Paulo, foi aprovada no curso de engenharia química na Universidade de Jaén, na Espanha. O histórico escolar e três anos de aulas de espanhol foram fundamentais para ela conquistar a vaga. 

“A Etec divulgou todas as informações sobre as inscrições para o processo seletivo. Eu me inscrevi, já que um dos requisitos era ter o curso de espanhol, e fiquei aguardando o resultado”, conta a jovem de 18 anos. 

Antes de conhecer a possibilidade de estudar na Europa, Bianca perdeu a chance de brigar por uma vaga nas universidades brasileiras, por falta de atenção. “Ano passado, quando fui fazer o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), não estava achando o meu RG de jeito nenhum e não consegui fazer nenhum vestibular, nem Fuvest nem Unesp. Fiquei desesperada e chorei muito”, lembra Bianca. 

Foi quando essa nova oportunidade surgiu que ela se preocupou em fazer um novo documento. “Em março, na época de inscrição para o processo seletivo da Universidade de Jaén, eu falei para minha mãe que precisava de outra via do documento. Quando [eu estava] procurando os documentos de que precisava para a nova identidade, eu achei o próprio RG, [ele] estava com os demais”.

Entre as opções de cursos oferecidos pela universidade espanhola, Bianca escolheu aquele que mais lhe agradava na área de exatas. “No ano passado, eu participei de uma feira para estudantes e gostei do curso de engenharia química; quando apresentaram informações, foi com o que eu mais me identifiquei e por isso fiz a inscrição na Universidade de Jaén.”

Mesmo com a bolsa de estudos, Bianca teve de pagar a passagem para a Espanha; além disso,  a universidade exige um seguro de saúde e o pagamento da moradia. Para conseguir essa verba foi difícil.

“A gente pagou a passagem, que foi R$ 7.000, minha mãe teve de vender o carro dela. Foi bem difícil porque nós não tínhamos cartão com esse limite, não conseguimos fazer o boleto, então o jeito foi pagar à vista. Também pagamos a moradia, no caso tivemos que dar uma caução de R$ 3.000, e o seguro saúde, que foi mais R$ 2.500", explica Bianca. 

Além desses gastos obrigatórios, a jovem vai ter despesas com comida, transporte e todos os documentos necessários para viver fora do Brasil. "Ainda falta o dinheiro para alimentação, ônibus e outras coisas", lamenta ela. 

Para conseguir verba, ela criou uma vaquinha virtual na internet. Até o dia 7 de setembro, Bianca tinha arrecadado R$ 2.150, mas a meta é conseguir R$ 7.000. A data do embarque é dia 12 de setembro. 

Como qualquer outro estudante, Bianca teve que superar dificuldades no dia a dia. “No início da pandemia, eu tive que conciliar a escola com serviço de casa, e, como minha mãe trabalhava o dia inteiro, eu cuidava das tarefas domésticas e do meu irmão. Foi bem difícil me adaptar, porque às vezes estava assistindo a uma aula e lavando a louça ao mesmo tempo. Tive de me adaptar.”

Para potencializar os conteúdos passados em aula, a estudante desenvolveu uma técnica. “Comecei a estudar por tópicos, então, basicamente, estudava de matéria em matéria com  perguntas, e aquelas que eu não conseguia fazer ou tinha dificuldade procurava aprender. Assim ficava mais fácil conhecer o conteúdo, porque eu sabia aquilo que estava errando. Este foi o método que funcionou comigo.”

Mesmo sem condições financeiras para pagar uma educação privada, Bianca fez do ensino público uma oportunidade para o futuro.

“Estudei bastante, produzi muitas redações e assisti a vários vídeos na internet, nunca paguei por nenhum curso e aproveitava as oportunidades que tinha. Meu curso de espanhol foi público, assim como o ensino médio na Etec”, comemora a orgulhosa Bianca.

*Estagiária do R7, sob supervisão de Karla Dunder

Últimas