Educação Do hospital, jovem pede ajuda na internet para tratar doença rara e realizar o sonho de entrar no ITA

Do hospital, jovem pede ajuda na internet para tratar doença rara e realizar o sonho de entrar no ITA

Filipe Procópio foi diagnosticado com a Doença de Crohn; medalhista de ouro na OBA, rapaz sonha em estudar engenharia de computação

Resumindo a Notícia

  • Jovem foi diagnosticado com a Doença de Crohn após cursinho preparatório
  • Doença intestinal inflamatória e crônica afeta o revestimento do trato digestivo
  • Estudante conquistou medalha de ouro na Olimpíada Brasileira de Astronomia
  • Família faz apelo para liberação de medicamento para uso no tratamento
Filipe já realizou seis cirurgias e está a mais de 45 dias internado em um hospital

Filipe já realizou seis cirurgias e está a mais de 45 dias internado em um hospital

Reprodução/ Twitter @filipepcp

Filipe Procópio, 21 anos, é um jovem capixaba com muitos sonhos e um deles é estudar engenharia de computação no ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica). Durante as aulas em um cursinho preparatório, em Fortaleza, Ceará, o estudante sentiu desconforto abdominal, sendo diagnosticado com Doença de Crohn, uma doença intestinal inflamatória e crônica que afeta o revestimento do trato digestivo

Após o diagnóstico, o sonho precisou ser adiado. Atualmente, internado em hospital público em Vitória, no Espírito Santo, e sem previsão de alta, Filipe mobiliza as redes sociais para pedir ajuda por meio de uma 'Rifa Solidária'. O objetivo é levantar recursos financeiros ao longo do tratamento para retomar os estudos após a recuperação. "É uma doença rara e sem cura que inflama o intestino e causa diversas perfurações e hematomas, além da má absorção de nutrientes — cheguei a perder 15 kg", comenta.

Em janeiro deste ano, Filipe conquistou uma bolsa de estudos para o curso preparatório do ITA em Fortaleza. "Estava tudo normal até que tive a primeira crise. Achei que fosse algum problema ortopédico, eu sentia dores forte na minha perna, não conseguia andar, nem levantar da cama.", 

"Fui ao médico e constataram um hematoma pressionando o nervo ciático. Com o resultado decidi retornar para o Espírito Santo ao lado dos meus pais para ter o suporte deles", conta.

O jovem procurou um hospital especializado em traumas para seguir com o tratamento, porém soube que as dores eram causadas por uma crise da doença intestinal já na fase aguda. "Houve uma perfuração no meu intestino e o hematoma veio parar no meu quadril, daí começaram as complicações", explica.

Jovem atualiza amigos pelas redes sociais sobre tratamento

Jovem atualiza amigos pelas redes sociais sobre tratamento

Reprodução/ Instagram @filipepcp

Desde o diagnóstico, já foram mais de 45 dias de internação, passagens por UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) e seis cirurgias. Outro desafio enfrentado por Filipe é o pedido de transferência legal do medicamento Infliximabe do Ceará para o Espírito Santo. "Preciso dele para o tratamento".

Pelas redes sociais, amigos e seguidores enviam mensagens de solidariedade e compartilham a história para que mais pessoas possam se unir nesta corrente do bem. "Recebo muitas mensagens de apoio e até de pessoas com doenças parecidas", conta.

Outro apoio fundamental é dos pais que viajam de Guarapari até a capital capixaba para visitar o filho diariamente. "Meus pais são incríveis. Chegaram até ultrapassar o limite de gastos com cartão de crédito para custear medicamentos e suplementos."

Na quinta-feira (25) o estudante compartilhou em seu perfil do Instagram fotos de presentes recebidos por ele Um dos mimos foi enviado pela AAAITA (Associação Atlética Acadêmica do ITA). "Recebi muita coisa! Calça, regata, bermuda, pares de meias, caneca e copo" relata o jovem no vídeo. 

Medalhista Olímpico

Durante o ensino médio, Filipe conquistou medalha de ouro na OBA (Olimpíada Brasileira de Astronomia).

Estudante dedicado, ele foi aprovado para os cursos de medicina na USP (Universidade de São Paulo), na UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), na Ufes (Universidade Federal do Espírito Santo), além de ser aprovado na Efomm (Escola de Formação de Oficiais da Marinha Mercante) e na Uece (Universidade Estadual do Ceara). Rejeitou todas as vagas e decidiu exclusivamente no vestibular do ITA.

*Estagiário do R7 sob supervisão de Karla Dunder

Últimas