Educação Escolas públicas representam país na Semana Mundial da Educação

Escolas públicas representam país na Semana Mundial da Educação

Projetos serão aprentados a partir deste domingo até o dia 8 em evento que conta com mais 100 escolas de todo o mundo

Painel com QR Code sobre fake news feito pelos alunos do professor Glaucio Ramos

Painel com QR Code sobre fake news feito pelos alunos do professor Glaucio Ramos

Arquivo Pessoal

O professor Glaucio Ramos trabalha na escola municipal Cônego Costa Carvalho, na cidade de Paulista, em Pernambuco, e diante da realidade da pandemia de Covid-19 desenvolveu o projeto Fuja da Fake, Foque no Fato, envolvendo alunos e a comunidade escolar. A ação foi uma das selecionadas para representar o país na Semana Mundial da Educação, que ocorre a partir deste domingo (3) e vai até o dia 8 de outubro, em um evento online.

Foram selecionadas 100 escolas de todo o mundo que apresentarão suas metodologias e projetos durante a Semana Mundial da Educação, uma iniciativa da organização global T4 Education, que conta com apoio da Fundação Lemann, The Lego Foundation e Templeton World Charity Foundation.

Cinco escolas públicas brasileiras foram escolhidas para compartilhar suas iniciativas, além da escola Cônego Costa Carvalho estarão presentes a escola municipal do Gravatá, de Gravatá (PE); escola municipal Professora América da Costa Saboia, de Curitiba (PR); escola estadual Dr. Pompílio Guimarães, de Piacatuba (MG); escola municipal Presidente Affonso Penna, de Novo Hamburgo (RS). A única representante da rede privada é a Escola Bosque (SP). Essas instituições de ensino são apoiados pela Conectando Saberes, rede nacional de professoras e professores.

Professores da escola estadual Dr. Pompílio Guimarães, de Piacatuba (MG)

Professores da escola estadual Dr. Pompílio Guimarães, de Piacatuba (MG)

Divulgação

"A proposta é que essas ações possam servir de exemplo para professores de qualquer parte do mundo e também que possam ser replicadas por eles", explica Paolla Vieira Lima, diretora da Conectando Saberes.

As inscrições para as palestras são gratuitas e podem ser realizadas no site da EventBrite. O evento será transmitido em inglês com legendas automatizadas ao vivo.

A Semana Mundial de Educação dá visibilidade para projetos como o desenvolvido pelo professor Glaucio Ramos, que há 10 anos escolheu essa maneira de lecionar como forma de  envolver seus alunos e suas famílias com a escola. "Gosto de trabalhar com projetos porque dá sentido ao aprendizado e o aluno vê o quanto aprendeu." 

"Diante da pandemia, resolvemos desenvolver um projeto para entender a realidade das fake news com relação a Covid-19 e as vacinas", explica o professor sobre o tema escolhido neste ano.

Um questionário foi aplicado aos alunos e outro às famílias e foi constatado que poucos sabiam identificar as notícias falsas e muitos familiares não iriam tomar a vacina por não se sentirem seguros. "Elaboramos uma estratégia de checagem de notícias, lemos e discutimos o livro Esquadrão Curioso: Caçadores de Fake News, do jornalista Marcelo Duarte, que foi convidado para conversar com os estudantes sobre o assunto."

O segundo ponto foi trabalhar o tema de forma interdisciplinar: em história os alunos estudaram o negacionismo e a Revolta da Vacina; em ciências o sistema imunológico e a produção de vacinas; o professor de matemática analisou os gráficos da pesquisa.

Professor Glaucio Ramos a sua biblioteca itinerante

Professor Glaucio Ramos a sua biblioteca itinerante

Arquivo Pessoal

"A partir daí, fizemos uma campanha educativa por meio de vídeos e memes, os estudantes criaram os roteiros e uma parede virtual com QR Code foi montada para que todos pudessem ter acesso às informações", explica. 

O projeto integra ações de educação midiática, que tem como objetivo orientar os jovens a terem um compromisso ético e crítico nas redes sociais. 

Glaucio também desenvolve o projeto Leitura na Esquina, que leva uma biblioteca itinerante até escolas que não têm espaço de leitura para o empréstimo de livros e contação de histórias.

Últimas