Educação Falta um mês para a Fuvest, ainda dá tempo de estudar?

Falta um mês para a Fuvest, ainda dá tempo de estudar?

Professores dão dicas para os estudantes que sonham com uma vaga na USP. Prova da primeira fase está marcada para o dia 10 de janeiro

Estudantes devem ficar atentos ao calendário e protocolos de segurança

Estudantes devem ficar atentos ao calendário e protocolos de segurança

Luiz Claudio Barbosa/Código19/Folhapress - 06.01.2019

Falta um mês para a primeira fase da Fuvest, a principal porta de entrada para a USP (Universidade de São Paulo). O vestibular foi marcado para o dia 10 de janeiro e o R7 ouviu professores para saber se ainda dá tempo de estudar.

O calendário para o ingresso em 2021 precisou ser alterado por conta da pandemia de coronavírus. A prova da primeira fase será realizada no dia 10 de janeiro e a lista dos aprovados para a próxima etapa será divulgada dia 1º de fevereiro. A segunda fase será nos dias  21 e 22 de fevereiro. A divulgação da primeira lista de aprovados está prevista para o dia 19 de março.

Leia mais: Fuvest: confira 7 dicas de estudo para tirar de letra o vestibular

Neste período de um mês, os candidatos a uma vaga na USP devem revisar o conteúdo estudado ao longo do ano. Para o coordenador do curso Poliedro, Marcio Guedes, os estudantes devem refazer as provas de vestibulares anteriores.

"Vale refazer as provas de exames anteriores para conhecer o 'jeito' da prova, não basta só saber o conteúdo é preciso saber resolver as questões", avalia. "Vale também como treino para calcular o tempo gasto em cada questão e observar os assuntos que são mais cobrados", explica. 

Leia mais: Saiba quais são as matérias que sempre caem na Fuvest

Para Heitor Ribeiro, coordenador do Anglo, refazer as provas também funciona como um termômetro. "Vale observar não os pontos totais, mas os erros e acertos e aproveitar esse mês para revisar o conteúdo em que apresenta mais dificuldade."

Manter o ritmo de estudo também é importante para treinar o foco. Na primeira fase são cobradas 90 questões que exigem conhecimento e raciocínio. "Não vale estudar o ano todo e errar uma questão porque não deu tempo de fazer ou simplesmente porque estava cansado e errou uma conta," observa Guedes.

Durante o treino, o aluno deve estabelecer uma estratégia de prova. "Começar sempre pelas matérias mais fáceis, deixar os exercícios mais difíceis para o final é um caminho", diz Ribeiro. "Jamais levar a  questão para o lado pessoal, perder muito tempo para resolver um exercício, na Fuvest, todas as questões tem o mesmo peso."

Para Guedes, esse treinamento constante de refazer as provas auxilia o aluno a ter mais agilidade no dia do vestibular. "Um atleta de alto rendimento se destaca porque treina e encara desafios mais intensos que a prova exige."

Orientações para o dia da prova:

O uso de máscara é obrigatório. A orientação dos organizadores é que os estudantes levem uma máscara adicional no dia. Também serão fornecidos saquinhos de papel para que a máscara usada seja guardada com segurança.

Sobre as mesas estarão disponíveis lenço umedecido com álcool 70% para desinfecção da carteira pelos próprios candidatos. Pontos com álcool estarão disponíveis nas salas e nos banheiros.

Leia mais: Fuvest divulga manual 2021; uso de máscara será obrigatório

Todos os coordenadores e fiscais da prova usarão equipamentos de proteção individual (EPIs), incluindo máscara, luvas e protetor de rosto.

A Fuvest ampliou o número de locais de provas para que cada sala tenha no máximo 40% de ocupação, com as mesas mantendo 1,5 metros de distanciamento.  Os portões serão abertos ao meio-dia para evitar aglomeração na entrada. Portas e janelas das salas ficarão abertas e o ar-condicionado não será utilizado.

O consumo de alimentos não poderá ser feito em sala, apenas líquidos.

Últimas