Educação Garrafa PET para economia de energia foi uma questão do segundo dia do Enem 2022

Garrafa PET para economia de energia foi uma questão do segundo dia do Enem 2022

R7, em parceria com o Kuadro, transmite os comentários e o gabarito extraoficial do segundo dia de exame a partir das 18h 

  • Educação | Do R7

Enem 2022: professores consideram a prova de química 'difícil'

Enem 2022: professores consideram a prova de química 'difícil'

LORANDO LABBE/FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO - 20.11.22

Os participantes do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) começam a deixar o local de prova deste segundo dia de exame. Os candidatos têm até as 18h30 para responder a 90 questões de matemática e ciências da natureza. Professores que participaram do exame neste domingo (20) dão das primeiras impressões sobre a prova. 

"O Enem não é um exame fácil, mas as questões de física seguiram o padrão das edições anteriores, cobrando assuntos como ondas, circuitos elétricos, calorimetria, estática, colisões", avalia Vinicius Silveira, professor de física da Plataforma AZ de Aprendizagem. "Vale destacar uma questão que envolve buraco negro e outra questão que envolve garrafa PET como sistema de iluminação para telhados que não têm luz elétrica."

Anderson Fernandes, professor de física das Escolas SEB, que faz o Enem desde 1998, considera que neste ano a prova de física foi a melhor dos últimos anos por ser mais abrangente e rápida, sem textos longos. No entanto, a prova contou com muitas questões que exigiram fazer contas, não só interpretação de texto, como em edições anteriores, como destaca Léo Gomes, professor de física do Descomplica. "Contas chatas, decimais, que exigem atenção, e também houve questão de cinemática, sobre o som na água e fora dela."

Francisco Neto, professor de química do Descomplica, considerou a prova difícil. "Em todas as questões o estudante precisava ter um bom conhecimento dos conceitos de química; a prova trouxe assuntos recorrentes como tratamento de água, métodos de proteção em eletroquímica, questões de radioatividade, química ambiental e chuva ácida; e a surpresa que não caiu, isomeria."

Virgilio Augusto de Aveiro, professor de química das Escolas SEB, também reforça que a prova estava bem complicada e difícil e com prevalência de físico-química. Segundo ele, um tema que faltou foi sobre problemas ambientais, que sempre estiveram presentes nos anos anteriores

Matemática foi considerada uma prova mediana e com muitas questões de funções. "Também percebemos muitas questões que envolveram gráficos, matemática financeira com juros e porcentagem", diz o professor Vinicius Haidar, gerente de avaliações e pré-universitário no SAS.

Haidar destaca que em biologia apareceram duas questões sobre Covid-19 e uma sobre doping nos esportes. No entanto, a prova deste ano foi bastante técnica e objetiva, sem tirinhas, nem cartoons, nem letra de música.

"Em ciências da natureza, a prova deste ano manteve a preocupação com o cotidiano do aluno, e em biologia a área da saúde teve destaque com questões sobre diversas doenças e até mesmo o PCR, o teste de Covid, estava presente", diz Rubens Oda, professor de biologia do Descomplica.

O R7, em parceria com o Kuadro, transmite os comentários sobre a prova e o gabarito extraoficial a partir das 18h. 

Últimas