Educação Governo do Estado lança um "Corujão da Educação"

Governo do Estado lança um "Corujão da Educação"

Programa Educa SP promete levar estudantes do ensino médio da rede pública para participar de cursos complementares em Universidades

Governo lança programa Educa SP para complementar a formação de estudantes com cursos em universidades

Governo lança Educa SP para alunos da rede pública

Governo lança Educa SP para alunos da rede pública

Divulgação

O Governo do Estado de São Paulo lançou o programa “Educa SP”, que levará alunos do Ensino Médio da rede estadual à universidade nesta sexta-feira (22). Através do projeto, jovens terão acesso a atividades complementares em instituições de ensino superior públicas e privadas parceiras em todo Estado. O programa foi apelidado de "Corujão da Educação".

Em coletiva de imprensa, no Palácio dos Bandeirantes, o governador João Doria comentou que o objetivo do novo programa é oferecer cursos com duração de 6 a 7 meses nos contra turnos escolares.

“De certa forma, é um ‘Corujão da Educação’, porque ele vai ocupar os horários disponíveis nas salas de aula de universidades, garantindo com isso melhor qualidade de ensino e principalmente uma motivação adicional para os alunos da rede”, disse Doria.

Neste projeto piloto, serão atendidos até 30 mil alunos da rede em 2019. O certificado estará atrelado à conclusão do Ensino Médio e a carga horária do curso não vai substituir as aulas regulares, que continuam obrigatórias.

A ideia da Secretaria de Estado da Educação é ofertar conteúdos que deem sentido à trajetória dos alunos e fornecer uma amostra da vida universitária. Além disso, a iniciativa busca reduzir a evasão e abandono escolar e aumentar o rendimento dos estudantes.

“A escola continua sendo o principal loco de aprendizado. Este é um programa opcional para os alunos, que podem ter experiência nas universidades e se interessar pelo ensino superior”, completou o secretário da Educação, Rossieli Soares.

Os cursos terão duração de 200 horas e estarão em consonância com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC). As atividades serão propostas pelas universidades, mas ainda passarão pelo crivo da Pasta.

A chamada oficial do programa está prevista para março, quando também será lançado o edital. Já o período de inscrição dos alunos ocorrerá no mês de maio. “Além de termos os melhores laboratórios à disposição, o programa poderá contribuir com o projeto de vida dos nossos alunos”, finalizou Rossieli.