Oficial de reserva, novo titular do MEC é economista com perfil técnico

Carlos Alberto Decotelli da Silva, anunciado nesta quinta como novo ministro da Educação, é da reserva da Marinha e chefiou o FNDE

O novo ministro da Educação, Carlos Alberto Decotelli da Silva

O novo ministro da Educação, Carlos Alberto Decotelli da Silva

Marcello Casal Jr/Agência Brasil - 03.07.2019

O novo ministro da Educação, Carlos Alberto Decotelli da Silva, é oficial da reserva da Marinha, especialista em finanças e tem um extenso currículo, que inclui um pós-doutorado pela Universidade de Wuppertal, na Alemanha.

Ele atuou junto ao governo desde a transição, quando participou do plano voltado para a área da educação. Em seguida, chegou ao posto de presidente do FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação) na gestão do ex-ministro Ricardo Vélez, onde ficou por seis meses. Agora, ele vai substituir Abraham Weintraub, que deixou o cargo na última semana.

A troca indica que a pasta terá em seu comando agora um gestor com perfil técnico e, pelo que indica sua trajetória, avesso a polêmicas. 

Em reunião, Bolsonaro pede plano de retomada de aulas

Decotelli é o primeiro negro a integrar a equipe de ministros do governo Bolsonaro.

Veja alguns destaques de seu currículo:

- Pós-Doutorado na Universidade de Wuppertal, na Alemanha, entre 2015 e 2017

- Doutorado em Administração na Universidade de Rosário, entre 2007 e 2009

- Mestrado profissional em Administração na Fundação Getúlio Vargas, entre 2006 e 2008

- Especialização em Administracao Financeira na Fundação Getúlio Vargas, entre 2003 e 2005

- Graduação em Ciências Econômicas pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro, entre 1975 e 1980

- Curso técnico/profissionalizante na Marinha do Brasil, entre 1969 e 1974