Educação Tropeços na correção do Enem e novo calendário

Tropeços na correção do Enem e novo calendário

Em 2020, estudantes foram prejudicados após erros do MEC. Pandemia obrigou o adiamento das provas para janeiro de 2021

  • Educação | Karla Dunder, do R7

Enem: problemas na correção e mudança de calendário

Enem: problemas na correção e mudança de calendário

Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Janeiro começou com um susto para estudantes que fizeram as provas do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) em 2019: foram contatados problemas na leitura do cartão de resposta dos candidatos, o que afetou a correção.

Na prática, os candidatos que fizeram a prova de uma cor tiveram o gabarito corrigido como se fosse de outra. O erro prejudicou pelo menos 6 mil candidatos, a maioria de Minas Gerais, segundo o então ministro da Educação, Abraham Weintraub.

Em 4 pontos, os erros que transformaram o Enem 2019 em crise

Para evitar que estudantes copiem respostas uns dos outros, as provas são impressas em quatro versões: branca, amarela, rosa e azul. São as mesmas questões, mas em ordem invertida.

Segundo o MEC (Ministério da Educação), o problema ocorreu na gráfica que imprimia o exame.

Como consequência, o problema levou a uma ampliação no prazo do Sisu (Sistema de Seleção Unificado), que usa a nota do Enem para a classificação dos alunos.

Neste ano, por conta da pandemia de coronavírus, após forte pressão de entidades estudantis e universidades, o governo mudou o calendário do Enem. As provas, que deveriam ser realizadas em novembro, serão aplicadas nos dias 17 e 24 de janeiro, na versão impressa. E nos dias 31 de janeiro e 7 de fevereiro. Os resultados serão divulgados no dia 29 de março.

Últimas